Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

CÂMBIO-Dados de China e Alemanha elevam euro; riscos permanecem

Por Da Redação - 3 jan 2012, 10h48

Por Neal Armstrong

LONDRES, 3 Jan (Reuters) – O euro registrava valorização nesta terça-feira, com dados melhores que o esperado impulsionando ativos de maior risco e provocando cobertura de posições vendidas. A moeda, contudo, deve continuar sob pressão em 2012, por preocupações com a elevada dívida soberana e o baixo crescimento na zona do euro.

O sentimento era alimentado por dados manufatureiros e de serviços melhores na China, enquanto o desemprego alemão caiu mais que o previsto, depois que números mostraram na segunda-feira uma contração menor que a esperada no setor manufatureiro.

Um rali nas ações europeias pelos dados sugeria um melhor apetite por ativos mais arriscados no início do ano.

Publicidade

Às 11h47 (horário de Brasília), o euro subia 0,74 por cento, para 1,3030 dólar, afastando-se da mínima de 2011, de 1,2858 dólar, atingida na semana passada na plataforma eletrônica EBS. A moeda única começou 2012 num tom positivo, após ter perdido 3 por cento no ano passado.

Operadores citaram demanda por euros por parte de bancos norte-americanos e britânicos, o que também contribuía para que a divisa se recuperasse da mínima em 11 anos atingida contra o iene na véspera.

Os profissionais também notaram “stops” quando o euro era cotado a 1,3020 dólar, a caminho da máxima do dia, antes de reduzir os ganhos para cerca de 1,3030 dólar. Pontos de resistência são vistos entre 1,3050 dólar e 1,3080 dólar.

Contra o iene, o euro subia 0,65 por cento, para 100,05 ienes. Na véspera, a moeda europeia caiu a 98,71 ienes durante a sessão, mínima desde dezembro de 2000.

Publicidade

O dólar caía 0,10 por cento ante o iene, para 76,80 ienes. O dólar australiano subia 1,18 por cento ante seu contraparte norte-americano, para 1.3450 dólar.

REUTERS JCG PD

Publicidade