Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Câmara dos EUA inicia debate sobre dívida

Por Da Redação 28 jul 2011, 15h17

Por Gustavo Nicoletta

Washington – A Câmara dos Representantes dos EUA começou a debater a nova proposta do Partido Republicano para reduzir o déficit orçamentário do país e elevar o limite de endividamento do governo federal, menos de uma semana antes da data final estipulada pelo Departamento do Tesouro norte-americano para que esse assunto estivesse resolvido. A votação sobre o projeto de lei deve começar por volta das 19h (de Brasília).

O plano republicano prevê dois aumentos no teto da dívida norte-americana. O primeiro, de US$ 900 bilhões, ocorreria imediatamente após a aprovação do projeto e teria como contrapartida a adoção de medidas para reduzir o rombo nas contas do governo em US$ 917 bilhões ao longo da próxima década. O segundo aumento seria de até US$ 1,6 trilhão e ocorreria em 2012, mas somente se os congressistas concordassem em cortar os gastos federais em mais US$ 1,8 trilhão.

O presidente dos EUA, Barack Obama, quer que o Congresso eleve o limite de endividamento apenas uma vez, de forma que não haja necessidade de debater esse assunto novamente ao longo de 2012, ano de eleições no país.

O deputado republicano John Boener, que preside a Câmara dos Representantes, está tentando obter um número de votos suficiente para aprovar o projeto. A maioria dos deputados é republicana, mas alguns discordam do plano. Os democratas, que são minoria na Câmara, devem votar em bloco contra o projeto de lei.

“Nós absolutamente precisamos evitar a crise iminente que poderia forçar o governo dos EUA a um default e colocar nossa economia numa espiral de queda”, disse o presidente do Comitê de Regulações da Câmara, o republicano David Dreier, no início do debate. “Não podemos e não faremos isso de forma a criar uma crise ainda maior no futuro.”

Já o líder da maioria democrata do Senado, Harry Reid, disse que “os republicanos não podem aprovar o curativo de curto prazo na Câmara hoje” e afirmou que a ala mais conservadora do Partido Republicano está “mantendo a economia como refém”.

O líder da minoria republicana no Senado, Mitch McConnel, respondeu às críticas de Reid, dizendo ser “inconcebível que eles efetivamente bloqueiem o único projeto de lei que pode passar pela Câmara e evitar um default no momento”. As informações são da Dow Jones.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês