Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Calcule o impacto das despesas banais do dia a dia no seu orçamento

Os pequenos gastos do cotidiano, que parecem não pesar no bolso, podem custar o equivalente a uma viagem ao exterior por ano. Descubra o rombo que eles causam no orçamento - e por que está difícil economizar

“Para onde foi meu dinheiro?”. Quem já se habituou a essa pergunta quando o final do mês se aproxima pode ser vítima de uma armadilha comum nas finanças pessoais: ignorar as despesas quase inocentes do dia a dia, aquelas que parecem – doce ilusão – não pesar no bolso. As planilhas de despesas familiares costumam trazer categorias para gastos expressivos, como moradia, transporte, educação e alimentação, mas as tentações diárias estão por toda parte. Quantias aparentemente irrisórias, deixadas nas sorveterias, lotéricas e pet shops, somadas a extravagâncias pontuais, como a lata de biscoito e o esmalte importados, fazem o orçamento escoar sem deixar pistas.

Um levantamento realizado entre os clientes da Private Pay, empresa especializada na gestão de gastos pessoais, mostrou que um casal com dois filhos tem, em média, 140 gastos mensais. Deste total, 98 são despesas de menos de 50 reais – ou seja, mais de três por dia. O controle desses gastos é ainda mais necessário para quem quer economizar. “Quando você mapeia todos os gastos, o corte salta à vista”, explica o economista Natan Finger, fundador da Private Pay.

Segundo estimativas do planejador financeiro Syllas Ramos, diretor do Instituto Brasileiro de Certificação de Profissionais Financeiros (IBCPF), um casal sem filhos pode gastar cerca de 20 000 reais por ano com produtos e serviços que não estão incluídos no planejamento do orçamento doméstico. Portanto, essas despesas consomem entre 10% e 15% do orçamento familiar de um casal com renda mensal de 15 000 reais – se computar lanchinhos extras das crianças no clube e presentes dos aniversários dos coleguinhas da escola, um casal com filhos pode gastar uma porcentagem ainda maior.