Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Caixa tem lucro líquido de R$ 6,7 bilhões em 2013

Contratação de crédito do banco também saltou 28,9% no ano passado, para R$ 406,9 bilhões

A Caixa Econômica Federal registrou lucro líquido de 6,7 bilhões de reais em 2013, cifra 19,2% superior ao resultado ajustado de 2012. O aumento no saldo positivo foi beneficiado pelo encerramento de contas poupança de 496 mil clientes, o que provocou a incorporação de 420 milhões de reais como receita em seu balanço patrimonial, cifra que antes contava como passivo. Desconsiderando essa mudança contábil, o crescimento teria sido de 10,8%, na mesma base de comparação. No quarto trimestre, o resultado foi de 1,7 bilhão de reais, aumento de 9,9%.

A carteira de crédito ampliada da Caixa atingiu saldo de 494,2 bilhões de reais, alta de 36,8% em 2013 ante o ano anterior. A participação do banco ficou em 18,1% no mercado. Já a contratação de crédito acumulada somou 406,9 bilhões de reais no ano passado, 29,8%, na mesma base de comparação.

As contratações no segmento de crédito habitacional, principal carteira da Caixa, alcançaram valor de recorde de 134,9 bilhões de reais em 2013, montante 26,4% superior ao visto no ano imediatamente anterior. Com esse resultado, a Caixa permaneceu líder no mercado, com 68,5% de participação e saldo de 270,4 bilhões de reais, que cresceu 31,4% em relação a dezembro de 2012.

Leia também:

Lucro dos bancos atingiu R$ 60,6 bi em 2013, diz BC

Lucro do Banco do Brasil sobe 29% em 2013, a R$ 15,75 bi

Santander Brasil lucra R$ 5,744 bilhões em 2013

No ano passado, o patrimônio líquido da Caixa aumentou em 13,8% e atingiu 27,4 bilhões de reais. O retorno sobre o patrimônio líquido médio foi de 26,2% no período. No quarto trimestre, a rentabilidade ficou em 28,0%.

Os ativos totais administrados da Caixa alcançaram 1,5 trilhão de reais ao final de 2013, sendo 858,3 bilhões de reais em ativos próprios da instituição, expansão de 22,1% em 12 meses. O índice de Basileia do banco foi a 15,1%, aumento de 2,1 pontos porcentuais em 12 meses, acima do mínimo exigido pelo Banco Central, de 11%. O Basileia mede quanto o banco pode emprestar sem comprometer o seu capital.

“O indicador demonstra que a Caixa possui estrutura de capital adequada e suficiente para dar continuidade à implantação de sua estratégia de negócios”, destaca o banco, em nota à imprensa.

(com Estadão Conteúdo)