Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Cai a taxa média de juro para pessoa física e empresas

Para pessoa física, a taxa média caiu para 6,58% ao mês, a menor desde 1995

A Anefac prevê aumento do volume de crédito nos próximos meses por conta do crescimento econômico brasileiro.

As taxas de juros médias para operações de crédito para pessoa física e para empresas voltaram a cair em dezembro na comparação ao mês anterior, após uma alta verificada em novembro. A informação é da pesquisa feita pela Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac). Para pessoa física, a taxa média caiu de 6,67% ao mês (117,02% ao ano) em novembro para 6,58% ao mês (114,84% ao ano) em dezembro. Para pessoa jurídica, passou de 3,99% ao mês (59,92% ao ano) para 3,87% ao mês (57,72% ao ano), na mesma base de comparação.

A taxa média para pessoa física é a menor da série histórica da Anefac, iniciada em 1995. Das seis linhas de crédito pesquisadas, apenas uma se manteve estável (cartão de crédito rotativo, em 10,69% ao mês ou 238,30% ao ano). O restante apresentou queda em dezembro. Entre elas, a maior queda foi verificada em empréstimos pessoal-financeiras (-0,22 ponto porcentual), cuja taxa média passou de 8,88% ao mês em novembro para 8,66% em dezembro, a menor da série histórica.

Também apresentaram recuo as taxas de empréstimo pessoal-bancos, que passou de 4,39% para 4,21% no mesmo período – a menor da série histórica -; juros do comércio, que saiu de 5,46% para 5,36% – a menor da série histórica -; cheque especial, que caiu de 8,41% ao mês para 8,36% ao mês; e CDC-financiamento de automóveis, que apresentou uma redução de 2,20% ao mês em novembro para 2,18% ao mês em dezembro.

No caso das operações de crédito envolvendo pessoa jurídica, a taxa média é a menor desde fevereiro de 2011. Todas as três linhas pesquisadas mostraram recuo em dezembro ante novembro. Em desconto de duplicatas, a taxa caiu de 3,14% ao mês para 2,96% ao mês de novembro para dezembro – a menor desde fevereiro de 2011 -; em capital de giro recuou de 2,67% para 2,52% ao mês – a menor da série histórica -; e em conta garantida foi de 6,17% para 6,14% ao mês – a menor taxa desde outubro de 2011.

Selic – A pesquisa da Anefac também relacionou os juros cobrados nas operações de crédito com a taxa Selic. No período de dezembro de 2010 ao mesmo mês de 2011, a Selic passou de 10,75% ao ano para 11% ao ano. No mesmo intervalo, a taxa de juros média para pessoa física caiu 5,13 pontos porcentuais, de 119,97% ao ano para 114,84% ao ano. No caso das pessoas jurídicas, a taxa média passou de 56,45% ao ano para 57,72% ao ano, alta de 1,27 ponto porcentual de dezembro de 2010 a dezembro de 2011.

A Anefac prevê aumento do volume de crédito nos próximos meses por conta do crescimento econômico brasileiro. “A nossa expectativa é de que as taxas de juros voltem a ser reduzidas nos próximos meses por conta das prováveis reduções da taxa básica de juros (Selic) conforme sinalizações do Banco Central, bem como de todas as medidas que o Banco Central e Ministério da Fazenda vêm promovendo para evitar uma desaceleração forte em nossa economia”, afirma a entidade, em nota.

(Com Agência Estado)