Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Buffett lista 5 conselhos para quem quer investir — e ganhar

Em carta anual aos acionistas, megainvestidor menciona dois investimentos de longo prazo feitos há mais de duas décadas que geram lucros surpreendentes

Por Da Redação 24 fev 2014, 20h57
Warren Buffett, presidente do conselho de administração
da Berkshire Hathaway
Warren Buffett, presidente do conselho de administração
da Berkshire Hathaway VEJA

O megainvestidor Warren Buffett, quarto homem mais rico do mundo pelo ranking da revista Forbes, divulga anualmente uma carta aos investidores de sua empresa, a Berkshire Hathaway, centro de seu império de 58,5 bilhões de dólares – e que administra ativos de companhias como Coca-Cola, Procter & Gamble e Heinz. Na carta que será distribuída dentro de alguns dias, o magnata de Omaha escolheu dois exemplos de investimentos que fez há algumas décadas para aconselhar os acionistas da Berkshire. A revista Fortune teve acesso exclusivo ao texto e o publicou nesta segunda-feira.

Os casos citados por Buffett se referem a propriedades, uma em Nova York, outra no setor agrícola. Sua intenção é mostrar que o investimento de longo prazo que leva em conta o potencial de lucro de cada ativo compensa mais do que a especulação de curto prazo. A primeira propriedade é uma fazenda próxima de Omaha, sua cidade-natal, que foi comprada por 280.000 dólares em 1986. Ao projetar os ganhos com as colheitas de soja e milho, Buffett chegou à cifra de 10% ao ano. Ele sabia, diz a carta, que as quebras de safra ou a queda nos preços dos grãos poderiam ocorrer em alguns anos. Porém, em outros, as coisas iriam melhor. “Agora, 28 anos depois, a fazenda triplicou seus ganhos e vale cinco vezes mais que o valor que eu paguei. Eu ainda não sei nada sobre agricultura e recentemente fiz minha segunda visita ao local”, conta.

Leia também:

Na contramão dos mercados, Warren Buffett investe em jornais

Confira os livros do ano – segundo os maiores nomes da economia

Buffett organiza bolão de basquete com prêmio de US$ 1 bi

Em 1993, logo após o estouro de uma bolha no mercado imobiliário corporativo nos Estados Unidos, Buffett investiu num edifício comercial adjacente à Universidade de Nova York. As perspectivas de ganhos no médio prazo eram ruins, pois contratos fechados com 20% dos inquilinos previam aluguéis abaixo do preço de mercado por um prazo de nove anos. Contudo, ao colocar as perspectivas de valorização e os ganhos com novos contratos após o vencimento dos antigos, o megainvestidor constatou que o retorno compensaria. O lucro anual, segundo Buffett, tem sido, nos últimos anos, o equivalente a 35% do valor investido no início da década de 1990. “Os ganhos da fazenda e do prédio provavelmente aumentarão nos próximos anos. Ainda que não sejam grandiosos, os dois investimentos serão sólidos e satisfatórios ao longo da minha vida, e, posteriormente, para meus filhos e netos”, afirmou Buffett. Confira os cinco conselhos do magnata.

Continua após a publicidade

Publicidade