Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

British Petroleum tem 1º prejuízo anual desde 1992

Perdas ocorreram em consequência das baixas contábeis provocadas pelo vazamento de petróleo no Golfo do México

Por Da Redação 1 fev 2011, 13h24

A British Petroleum (BP) registrou em 2010 seu primeiro prejuízo anual desde 1992, em consequência das baixas contábeis provocadas pelo vazamento de petróleo no Golfo do México. As baixas aumentaram 1 bilhão de dólares no quarto trimestre e totalizaram 40,9 bilhões de dólares. O prejuízo líquido em 2010 somou 3,59 bilhões de dólares.

A BP informou que vai aprofundar mudanças estratégicas por meio de uma redução em sua capacidade de refino e da busca de novas oportunidades de exploração. A companhia planeja vender metade de sua capacidade de refino – as unidades de Texas City e Carson – para se concentrar nos mercados emergentes.

Essas vendas “transformarão a BP na menor refinaria entre os competidores internacionais” e reduzirão sua capacidade total em cerca de um quinto, segundo um porta-voz da empresa. A companhia também decidiu retomar o pagamento de dividendos trimestrais, que havia sido suspenso em junho do ano passado, a 0,07 centavos de dólar por ação. Antes do acidente no Golfo do México o dividendo da BP era de 0,14 centavos de dólar por ação.

“O ano de 2011 de recuperação e consolidação, na medida em que implementarmos as mudanças que identificamos” como necessárias, disse Bob Dudley, executivo-chefe da BP, em comunicado. “Também será um ano no qual nós teremos a oportunidade de restabelecer a companhia, ajustando o tamanho dos nossos negócios”, acrescentou.

Apesar do otimismo, a BP informou esperar uma queda na produção neste ano, para 3,4 milhões de barris de petróleo – 11,5% menos que a média de 2010 e 15% abaixo da média de 2009. A produção total de petróleo e gás no ano passado foi de 3,673 milhões de barris por dia, um recuo de 9,4% ante 2009.

No quarto trimestre de 2010, o lucro líquido da BP subiu 29,6%, para 5,57 bilhões de dólares, em comparação com 4,30 bilhões de dólares no mesmo período de 2009, em boa parte por causa de um ganho de 1 bilhão de dólares no valor dos estoques de petróleo e gás da companhia.

No entanto, o lucro livre dos custos de substituição de ofertas – um dado bastante observado porque exclui ganhos ou perdas com estoques e outros itens não operacionais – caiu para 4,36 bilhões de dólares, de 4,38 bilhões de dólares um ano antes.

(com Agência Estado)

Continua após a publicidade
Publicidade