Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

British Airways rejeita passageiro por ser gordo demais

Companhia aérea britânica alegou que não seria possível acomodar com segurança o jovem de 230 kg

Por Da Redação 7 nov 2013, 16h17

Família teve de embarcar para Londres a bordo do navio Queen Mary

Uma família francesa que viajou aos Estados Unidos para que seu filho recebesse tratamento médico afirmou ter sido impedida de pegar um avião de volta em Chicago porque a companhia aérea British Airways alegou que o jovem era gordo demais para voar em uma de suas aeronaves. Kevin Chenais, de 22 anos, pesa cerca de 230 kg devido a um desequilíbrio hormonal. Por isso, passou um ano e meio internado em uma clínica.

Sua mãe se emocionou quando explicou os problemas de seu filho a um canal local da cadeia CBS. “Se pudemos trazê-lo para cá com esse problema na classe turística, deve haver uma maneira de levá-lo de volta da mesma forma. Queremos levá-lo para casa para que seu tratamento médico continue”, queixou-se Christina Chenais.

Um porta-voz da companhia britânica afirmou à CBS que seu setor de atendimento ao cliente tentou encontrar uma solução para o problema. “Infelizmente, não é possível acomodar com segurança o passageiro em nenhum de nossos aviões”, afirmou em um comunicado.

Kevin Chenais necessita continuamente de oxigênio e acompanhamento médico. “Tenho certeza que muita gente gorda como eu, ou maior, não pode viajar devido ao mesmo problema”, declarou à CBS. A família passou uma semana em um hotel no aeroporto de Chicago para tentar resolver a situação. Por fim, decidiu embarcar em um trem para Nova York e voltar para a França a bordo do navio Queen Mary.

Continua após a publicidade

Os pais de Kevin afirmam que informaram a companhia aérea sobre as condições médicas e o peso do filho quando compraram as passagens. A British Airways, no entanto, não quis comentar o assunto.

Leia também:

Procon-SP notifica TAM por desrespeito a criança com paralisia

Procon-SP notifica KLM por desrespeito a deficiente

(com Agência France-Presse)

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês