Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Brasileiros perderam mais de 50 bilhões de milhas no ano passado

Consumidores têm dificuldades em acompanhar o acúmulo de pontos e, muitas vezes, não conseguem juntar valor mínimo para trocar prêmios

Por Da Redação 6 jul 2015, 14h17

Viajantes brasileiros estão perdendo um número cada vez maior de pontos acumulados em programas de benefícios de cartões de crédito. Estudo do Banco Central em parceria com emissores de cartões mostra que 53,4 bilhões de milhas expiraram em 2014 por falta de uso.

De acordo com reportagem desta segunda-feira do jornal Folha de S.Paulo, isso equivale a 24% da pontuação conquistada naquele mesmo ano. É o dobro do porcentual verificado em 2010, primeiro ano em que o número foi apurado pelo BC.

Entre 2010 e 2014, os brasileiros acumularam 992 bilhões de milhas em seus cartões de crédito. Desse total, quase dois terços foram convertidos em prêmios, incluindo passagens aéreas e bens de consumo. Na média, 17% expiraram, por falta de utilização no prazo determinado ou pelo cancelamento do cartão.

O restante foi incorporado ao saldo total de milhas, que chegou a quase 300 bilhões no final de 2014. Esse estoque é suficiente para ser trocado por 3 milhões de voos internacionais, considerando gasto de 100 mil milhas para passagens de ida e volta.

Renata Reis, do Procon-SP, diz que a perda de pontos é a principal reclamação dos consumidores em relação a esses programas. A queixa, normalmente, é sobre falta de informação sobre prazo de expiração e desaparecimento de créditos sem que sejam usados. Esses casos podem ser resolvidos por meio de reclamações ou de ações em tribunais de pequenas causas. O coordenador do laboratório de finanças do Insper, Michael Viriato, diz que as pessoas têm dificuldades em acompanhar o acúmulo de pontos e, muitas vezes, não conseguem juntar o valor mínimo para a troca por prêmios.

(Da redação)

Leia também:

Conheça as dez cidades com as cervejas mais baratas do mundo

Conheça as dez melhores cidades do mundo para ser jovem

Continua após a publicidade

Publicidade