Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Brasileiro procura TV, sofá e churrasqueira para assistir à Copa em casa

Com o Mundial sendo realizado em outro país, pesquisa do Google aponta que brasileiro quer deixar sua casa mais confortável para ver os jogos

A paixão do brasileiro por futebol e a proximidade de mais uma Copa do Mundo devem injetar algum ânimo na economia do país. Levantamento exclusivo do Google mostra que as buscas na internet por bens de consumo duráveis dispararam, principalmente de itens que melhoram o conforto para assistir aos jogos em casa e receber amigos. Essa preocupação faz sentido: pesquisa realizada pelo Ibope Conecta mostra que 73% dos internautas vão assistir aos jogos na própria casa ou na de amigos. Uma fatia muito menor disse que vai torcer em bares e restaurantes (10%), no trabalho (7%) ou eventos com transmissão ao vivo (5%).

O levantamento do Google mostrou que as buscas por televisores, sofás e churrasqueiras cresceram mais de três vezes no primeiro trimestre deste ano em comparação com o mesmo período de 2014, quando o Mundial foi realizado por aqui. Individualmente, os artilheiros nas procuras são as TVs de 4K de 58 polegadas (crescimento de 1.000% no período avaliado pelo Google), antena HDTV (700%), sofá de seis lugares (400%), fritadeiras e fornos elétricos (338%). Também cresceram as buscas por receita de feijoada (309%), barril de chope (247%) e preço do gin (150%).

Veja também

As redes varejistas, é claro, perceberam o aumento da procura por esses produtos nos seus sites, e têm fortalecido suas campanhas digitais para alavancar as vendas. “Algumas grandes marcas que anunciam no Google, como o Magazine Luiza e a Via Varejo, por exemplo, nos disseram que efetivamente têm vendido mais”, afirma Victor Brotto, líder de inteligência de mercado do Google Brasil.

De acordo com o analista, muitos varejistas alinharam suas campanhas publicitárias na internet com o calendário da seleção. Quando o técnico Tite anunciou os 23 convocados para a seleção, por exemplo, algumas empresas do ramo de supermercados dispararam peças publicitárias anunciando quais produtos deveriam obrigatoriamente ser escalados para a cozinha do brasileiro.

“Produtos como móveis e eletrodomésticos têm um ciclo de compras mais longos, as pessoas demoram para renovar”, diz Victor. “O que temos notado é que as empresas que vendem comida, que é um produto de consumo imediato, têm cada vez mais apostado na publicidade online. E a Copa contribuiu ainda mais para essa estratégia”.

Estudo realizado pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) mostra que três em cada dez (33%) micro e pequenos empresários dos ramos do comércio e serviços estimam que as vendas devem aumentar no período dos jogos.

O estudo revela ainda que dois em cada dez empresários entrevistados (20%) afirmam já estar se preparando para atender ao aumento da demanda durante os jogos. As promoções são a grande aposta para atrair o consumidor (42%). Para 20%, há intenção de ampliar seus estoques e 10% contratar mais funcionários.

Campeão de buscas

O Brasil está longe de ser o país que mais utiliza o Google, mas, quando o assunto é Copa do Mundo, a nossa tradição e títulos falam mais alto, e passamos a liderar globalmente (com 26,7%) o volume de buscas por informações e produtos relacionados ao Mundial.

De janeiro a abril deste ano, segundo a pesquisa do Google, a nova camisa da seleção brasileira anunciada pela CBF teve um crescimento de 546% nas buscas do Google, seguidas pela da seleção belga 300%, e a da Argentina 268%. Se comparado com o mesmo período do ano passado, as buscas por camisas do Brasil tiveram um crescimento de apenas 68% .

Para Victor Brotto, a maior parte dos consumidores pertence às classes A e B, e navegam por pelo menos 4 sites até encontrar o melhor preço do produto desejado.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. nivelA nivelA

    Qual o preço da camisa ?

    Curtir