Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Brasileiro bebeu menos no 1º tri – mas lucro da AB InBev avança

Volume comercializado no país caiu 6,3% em relação a 2012, mas lucro líquido do grupo subiu para 2,05 bilhões de dólares no período

Por Da Redação
30 abr 2013, 09h28

O lucro líquido da cervejaria Anheuser-Busch InBev, que controla a Ambev, subiu para 2,05 bilhões de dólares no primeiro trimestre deste ano, de 1,67 bilhão de dólares no mesmo período de 2012, uma alta de quase 22%. No entanto, a queda no volume de vendas em seus principais mercados, o Brasil e os Estados Unidos, fez com que a receita ficasse abaixo das estimativas dos analistas.

A receita da AB InBev caiu para 9,17 bilhões de dólares no primeiro trimestre, de 9,33 bilhões de dólares um ano antes, afetada também pelo dólar mais fraco, apesar de a empresa ter elevado os preços de seus produtos. A previsão dos analistas era de 9,64 bilhões de dólares em receita. O Ebitda recuou para 3,43 bilhões de dólares, de 3,56 bilhões de dólares.

O volume total de vendas da AB InBev, excluindo aquisições e vendas de ativos, diminuiu 4,1% nos três meses até o fim de março, em comparação com o crescimento de 1,8% no mesmo período de 2012. Na América do Norte a demanda declinou 5,1%, depois de crescer 1,2% um ano antes, e na América Latina houve queda de 5,8%, após a expansão de 4,8% no início do ano passado.

Leia também:

Budweiser lança edição em homenagem ao UFC por 10 reais

Continua após a publicidade

AB InBev publica anúncios negando acusação de aguar cerveja

Ambev no Brasil – A receita com a venda de cerveja caiu 8,2% no primeiro trimestre no país, segundo a companhia. Entre os meses de janeiro e março, a quantidade de cerveja vendida Brasil foi de 27 milhões de hectolitros, 6,3% menor se comparado ao mesmo período de 2012.

Cerca de três quartos do lucro operacional da AB InBev é gerado no Brasil e nos EUA. Mas o clima mais frio do que o normal, os preços mais altos da gasolina e os aumentos de impostos nos EUA limitaram as compras dos consumidores norte-americanos. No Brasil as vendas foram prejudicadas pelo aumento de preços no segundo semestre do ano passado e pelo Carnaval, cuja data caiu mais cedo neste ano.

A Ambev afirmou, em comunicado, que os custos de suas bebidas subiram 9,4% no período, em relação a 2012, o que também impactou as vendas. As marcas de cervejas que a empresa considera “premium” no Brasil, Budweiser e Stella Artois, apresentaram aumento nas vendas, segundo a empresa.

Continua após a publicidade

A AB InBev vai ampliar seus negócios nas Américas com a compra do mexicano Grupo Modelo por 20,1 bilhões de dólares, em um acordo que acrescentará às marcas vendidas pela empresa a Corona Extra, a mais importada pelos EUA. O acordo também permitirá que a AB InBev leve a marca Budweiser para o México, um importante mercado de rápido crescimento para a companhia.

(Com Estadão Conteúdo)

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.