Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Brasileira presidirá Aerolíneas Argentinas no governo de Macri

Filha de argentinos, Isela Constantini nasceu em 1971 em São Paulo e é atual presidente da General Motors na Argentina

Por Da Redação 30 nov 2015, 20h21

A presidente da General Motors na Argentina, Isela Costantini, comandará a Aerolíneas Argentinas no mandato de Mauricio Macri, eleito para a Casa Rosada. Filha de argentinos, ela nasceu em 1971 em São Paulo e se formou em comunicação na Pontifícia Universidade Católica do Paraná. Este ano, recebeu o maior prêmio dado a um executivo na Argentina, a partir de pesquisa feita com mais de 200 empresários, consultores e políticos. Ela preside também a Associação de Fabricantes de Automotores (Adefa).

O convite foi feito por Macri na semana passada e ela aceitou nesta segunda-feira, depois de consultar sua família. A Aerolíneas, estatizada há sete anos, tem quase toda a frota alugada, com apenas dois jatos próprios. O déficit da companhia é estimado em 1 milhão de dólares por dia. Desde que saiu de mãos privadas, a empresa recebeu 5 bilhões de dólares do Estado. Macri prometeu mantê-la sob controle do Estado, assim como a petrolífera YPF, também estatizada pelo kirchnerismo.

Elogiada pela habilidade para negociar, Isela terá de enfrentar seis sindicatos: APA (terrestre), APTA (técnicos), AAA (aeronavegante), UPSA (hierárquico), APTA (pilotos da Aerolíneas) e UALA (pilotos da Austral). O dos controladores aéreos, embora não negocie com a companhia, bloqueia com frequência os voos. Sua nomeação reforça o caráter gerencial do gabinete de Macri, elogiado e criticado por ter ministérios e companhias importantes conduzidos por profissionais com experiência no setor privado.

A presidência da Aerolíneas esteve durante o último período do mandato de Cristina Kirchner com Mariano Recalde, um militante do grupo juvenil kirchnerista La Cámpora que ficou em terceiro na disputa pela prefeitura de Buenos Aires este ano. Seu maior mérito no cargo foi justamente manter um acordo com os sindicatos, o que reduziu a quantidade de greves.

Leia mais:

Dilma cumprimenta presidente eleito da Argentina, Mauricio Macri

Continua após a publicidade

Novo presidente argentino quer suspensão da Venezuela do Mercosul

Novo presidente argentino pode melhorar relação com Brasil e Mercosul

Biografia – Casada e com dois filhos, Isela viveu a maior parte da juventude na Argentina. Depois de formar-se no Brasil, cursou um MBA na Loyola University of Chicago, com especialização em marketing e negócios internacionais. Ela começou carreira na GM no Brasil em 1998 na área de Marketing e Vendas, onde trabalhou em marketing estratégico, vendas e como gerente de marca. Em 2002, foi transferida para Arlington, no Texas. Ela voltou para a GM do Brasil para ser gerente de programas. Em 2004, entrou para a área de pesquisa de mercado na América Latina, na África e no Oriente Médio. Um ano depois, foi promovida para pesquisa de mercado e planejamento de produto.

De junho de 2010 até o final de fevereiro de 2012, atuou como diretora de pós-vendas e atendimento ao cliente da GM América do Sul. Em março de 2012, foi nomeada presidente e CEO da General Motors Argentina, Uruguai e Paraguai. Foi a primeira mulher a ocupar essa posição e a GM Argentina tornou-se a primeira companhia automotiva da Argentina a ter uma presidente. Em 2013, foi incluída entre as 50 mulheres mais poderosas no mundo dos negócios pela revista Fortune, que a colocou na posição 37.

(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade
Publicidade