Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Brasil tem queda de 44% nas fusões e aquisições neste ano

Queda é reflexo da recessão econômica, que tem afetado a confiança dos investidores e empresários, de acordo com relatório da Mergermarket

Por Da Redação 26 out 2015, 11h19

As fusões e aquisições no Brasil caíram 44,4% nos três primeiros trimestres de 2015 na comparação com igual período do ano passado, de acordo com dados divulgados pela Mergermarket, empresa que monitora este mercado em várias regiões do mundo. A queda é reflexo da recessão econômica, que tem afetado a confiança dos investidores e empresários, de acordo com relatório.

O volume de negócios no Brasil somou 21,6 bilhões de dólares de janeiro a setembro. Ao todo, foram realizados 191 negócios no período, o equivalente a 51,2% do total de operações de toda a América Latina. Apesar de responder por metade das fusões e aquisições da região, a participação do país no total este ano caiu para o menor nível desde 2009.

O maior negócio este ano na América Latina foi a compra das operações do HSBC no Brasil pelo Bradesco, anunciada em agosto e que somou 5,2 bilhões de dólares, de acordo com o levantamento. Na região, foram fechados 373 negócios este ano até setembro. Na América Latina, as fusões e aquisições caíram 56,6% nos três primeiros trimestres, movimentando 44,5 bilhões de dólares. Além da piora das operações no Brasil, os negócios tiveram queda em países como México, com recuo de 38%, e Chile, com retração de 78%.

Para os analistas da Mergermarket, a deterioração das condições macroeconômicas na região, que sofre com a queda dos preços das commodities, além de problemas domésticos em alguns países, como inflação alta e desvalorização das moedas, estão afetando o apetite por negócios. Nesse ambiente, 2015 foi até agora um ano “decepcionante” para as fusões e a expectativa é que as coisas melhorem em 2016.

Leia mais:

Governo cortará orçamento do FGTS em 20% nos próximos quatro anos

Dívida Pública Federal sobe 1,8% e vai a R$ 2,73 tri

(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)