Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Brasil e México continuarão a negociar acordo automotivo

SÃO PAULO, 10 Fev (Reuters) – Brasil e México não chegaram esta semana a um acordo para salvar o acordo automotivo entre os dois países que movimentou 2,5 bilhões de dólares em 2011, mas concordaram em continuar negociando até o final de fevereiro, informou o governo brasileiro.

O Brasil ameaçou romper o acordo de 2003 que permite o livre comércio de automóveis e peças com o México, diante do déficit comercial com esse país.

Negociadores reunidos esta semana em Brasília voltarão a se encontrar em 28 e 29 de fevereiro na Cidade do México.

“A reunião contribuiu para o esclarecimento de pontos relevantes a respeito da evolução e das perspectivas do relacionamento comercial bilateral no setor automotivo”, informou o Ministério das Relações Exteriores do Brasil em comunicado à imprensa.

“Ambos os países estão empenhados em buscar solução satisfatória que atenda aos interesses das duas partes”, acrescentou.

O acordo gerou atrito entre as duas maiores economias da América Latina.

Na semana passada, o Brasil ameaçou romper o acordo automotivo a partir de 2013 e pediu que fosse renegociado para incluir caminhões, ônibus e veículos comerciais, com os quais espera equilibrar sua balança comercial com o México.

O México disse que estava disposto a escutar as queixas brasileiras, mas que não havia nada a ser renegociado.

Uma fonte do Ministério das Relações Exteriores brasileiro disse, no entanto, que depois das reuniões desta semana as posições parecem mais convergentes.

“Não foi possível chegar a um acordo esta semana, mas o diálogo continua”, afirmou.

Segundo dados do Ministério da Indústria, Desenvolvimento e Comércio Exterior do Brasil, o país importou em 2011 automóveis mexicanos totalizando 2,07 bilhões de dólares e exportou ao país automóveis por apenas 373 milhões de dólares.