Clique e assine a partir de 8,90/mês

Brasil crescerá apenas 0,3% em 2014, avalia OCDE

No entanto, previsões de crescimento da economia brasileira nos próximos anos são mais otimistas: alta de 1,5% em 2015 e avanço de 2% em 2016

Por Da Redação - 6 nov 2014, 12h46

A Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) manteve a previsão para o crescimento da economia brasileira em 0,3% para 2014. Já a previsão para o Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil em 2015 teve ligeiro aumento de 1,4% para 1,5%. Para 2016, a estimativa é de uma nova aceleração, que deve elevar o crescimento para 2%. As estimativas constam no documento preliminar à reunião das 20 maiores economias do mundo (G-20), que acontecerá na próxima semana, na Austrália.

No relatório, divulgado nesta quinta-feira, a OCDE também reduziu a previsão de crescimento global para 3,3% em 2014, ante alta de 3,4% na estimativa publicada em maio. A expansão da economia em 2015 será de 3,7%, ante a previsão anterior de elevação de 3,9%. Para 2016, o crescimento deverá ser de 3,9%.

Apesar de ressaltar que a recuperação econômica dos Estados Unidos “parece robusta”, a entidade advertiu que a zona do euro está “em risco de estagnação”, ao mesmo tempo em que a saída do Japão de duas décadas de deflação “ainda não está garantida”.

Leia também:

Mercado eleva previsão para juros a 12% em 2015

OCDE: Brasil vai crescer menos que emergentes e desenvolvidos

Produtividade brasileira estagnou na última década, alerta OCDE

Política monetária – A OCDE citou o Brasil no quadro sobre as perspectivas para a política monetária global. A entidade acredita que o juro “pode precisar subir ainda mais” no Brasil e Rússia. Na China, a entidade diz que o desafio do Banco Central será balancear a necessidade de manter a demanda aquecida ao mesmo tempo em que precisa manter a sustentabilidade da economia. Nos países desenvolvidos, a previsão é de que o juro começará a subir em meados de 2015 nos EUA.

(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade
Publicidade