Clique e assine a partir de 9,90/mês

Bradesco vê aceleração do crédito após lucro menor

Por Da Redação - 31 jan 2012, 12h28

Por Guillermo Parra-Bernal

SÃO PAULO, 31 Jan (Reuters) – O Bradesco prevê crescimento maior de sua carteira de crédito neste ano, à medida que maiores investimentos do Estado, reduções de impostos e cortes no juro básico devem ampliar a demanda por empréstimos de pessoas físicas e empresas.

O banco está esperando crescimento do crédito de 18 a 22 por cento em 2012, contra alta de 17,1 por cento em 2011.

O segundo maior banco privado do Brasil depois do Itaú Unibanco divulgou nesta quinta-feira queda no lucro do quarto trimestre, em um resultado que ficou abaixo do previsto por analistas.

Continua após a publicidade

A instituição financeira acredita que a economia deve responder favoravelmente a uma combinação de cortes no juro, incentivos tributários e fortes investimentos pelo governo.

“Mais do que no resultado abaixo do esperado no trimestre, acreditamos que os participantes do mercado irão avaliar as estimativas do Bradesco para 2012… que nós acreditamos que podem levar a um sentimento misto sobre as ações do banco”, disse o analista Roberto Attuch, do Barclays Capital, em relatório a clientes.

Às 13h15, as ações do Bradesco caíam 3,15 por cento, a 31,40 reais, enquanto o Ibovespa tinha variação positiva de 0,23 por cento. O papel do banco exibia a maior baixa dentro da carteira teórica que reúne os papéis mais líquidos da bolsa.

O setor bancário brasileiro, o mais lucrativo do país, enfrentou um revés no ano passado depois que o governo da presidente Dilma Rousseff adotou uma série de medidas para conter a oferta de empréstimos que pressionava a inflação, em meio à temores de uma bolha no crédito.

Continua após a publicidade

As autoridades reverteram o curso desde agosto, quando a piora da crise de dívida soberana na Europa reduziu o crescimento da economia global.

O Bradesco teve lucro abaixo do esperado por analistas no quarto trimestre com o aumento das despesas e provisões para empréstimos de liquidação duvidosa.

O lucro recorrente, que exclui itens extraordinários, aumentou 3,2 por cento, para 2,771 bilhões de reais de outubro a dezembro, contra igual período de 2010. Pesquisa Reuters com oito analistas apontava para ganho, em média, de 2,92 bilhões de reais.

O lucro líquido no quarto trimestre, porém, caiu 8,7 por cento na comparação anual, para 2,726 bilhões de reais.

Continua após a publicidade

Os resultados refletem os custos da expansão da rede de agências do Bradesco e os investimentos em tecnologia feitos pelo banco. Analistas esperam que isso amplie os gastos com folha de pagamento e tenha peso sobre as margens nos próximos anos.

O retorno sobre o patrimônio líquido, importante indicador de rentabilidade dos bancos, caiu para 21,3 por cento no quarto trimestre, de 22,4 por cento no terceiro trimestre e 22,2 por cento nos três meses finais de 2010. A expectativa média de analistas era de retorno de 21,7 por cento, segundo a pesquisa Reuters.

CRÉDITO E INADIMPLÊNCIA

No final de 2011, a carteira de crédito do Bradesco era de 345,724 bilhões de reais, contra 295,197 bilhões de reais em dezembro de 2010. No encerramento do terceiro trimestre, a carteira estava em 332,335 bilhões de reais.

Continua após a publicidade

O índice de inadimplência, medido pelo saldo de operações vencidas com prazo superior a 90 dias, foi de 3,9 por cento no quarto trimestre, ante 3,8 por cento no terceiro trimestre e 3,6 por cento um ano antes.

Nos últimos três meses de 2011, as despesas do banco com provisões para perdas com crédito somaram 2,661 bilhões de reais, ante 2,295 bilhões de reais no último trimestre do ano anterior.

No acumulado de 2011, o Bradesco teve lucro líquido de 11,198 bilhões de reais, aumento de 14,2 por cento sobre 2010.

Publicidade