Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Bradesco reduz juros para pessoas físicas e jurídicas

Anúncio segue movimento dos bancos públicos, além de HSBC e Santander

O Bradesco anunciou nesta quarta-feira a redução de juros no crédito para pessoas físicas e empresas. O banco também vai ampliar limites de crédito em 21 bilhões de reais para os dois segmentos e bancos de montadoras. O Bradesco segue o movimento dos bancos públicos, Caixa e Banco do Brasil, que reduziram os juros como estratégia do governo para baixar o spread (a diferença entre o custo que o banco capta recursos e a que ele empresta ao cliente).

Na semana passada, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, aumentou o tom e disse que os bancos privados têm espaço para reduzir os spreads. Em seguida, o HSBC cortou juros e na terça-feira o Santander anunciou taxas menores para pequenas empresas.

Para os clientes pessoa física do Bradesco haverá redução de taxas nas linhas de financiamento de veículos, crédito pessoal, consignado e aquisição de bens. A taxa do crédito pessoal, por exemplo, cai de 2,66% para a partir de 1,97% ao mês. No financiamento de veículos, a taxa que era de 1,35% passou a ser a partir de 0,97% ao mês. “Em consonância com os objetivos de estímulo ao crescimento econômico, o Bradesco anuncia hoje redução nas taxas de juros de diferentes modalidades de crédito”, destaca o comunicado à imprensa.

O Bradesco ampliou o limite de crédito em mais 15 bilhões de reais, sendo 9 bilhões de reais para pessoas físicas e 5 bilhões de reais para pessoas jurídicas.

Para os bancos de montadoras, o Bradesco informou que vai disponibilizar mais R$ 6 bilhões de limite de crédito. “A medida visa a incrementar a produção e comercialização de automóveis, um setor de grande importância na cadeia de produção do país”, destaca o comunicado do banco.

Nas micros e pequenas empresas, o Bradesco criou uma linha de crédito de 1 bilhão de reais para capital de giro e CDC (crédito direto ao consumidor) para aquisição de máquinas e equipamentos. A taxa para essa linha será de 2,90% ao mês, comparada à anterior de 5,56%, segundo o comunicado do banco.

(Com Agência Estado)