Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Bovespa sobe 2,83% com nova meta de esforço fiscal

Por Da Redação 29 ago 2011, 17h44

O clima positivo no exterior, com alguns indicadores favoráveis nos EUA, e o anúncio feito pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega, de um esforço fiscal extra de R$ 10 bilhões na meta de superávit do governo central este ano levaram a Bolsa de Valores de São Paulo a exibir alta firme hoje. O índice Bovespa retomou os 54 mil pontos e chegou a flertar com os 55 mil pontos durante a sessão.

O Ibovespa terminou o pregão com ganho de 2,83%, aos 54.860,73 pontos. Na mínima, registrou 53.356 pontos (+0,01%) e, na máxima, os 55.027 pontos (+3,14%). A alta de hoje reduziu as perdas acumuladas no mês – que já chegaram a 17,26% no dia 8 – a 6,74%. No ano, o Ibovespa cai 20,84%. O giro financeiro totalizou R$ 5,420 bilhões. Os dados são preliminares.

Nos EUA, os investidores já estavam de bom humor com o discurso do presidente do banco central (Fed), Ben Bernanke, na sexta-feira, em Jackson Hole. Embora ele não tenha anunciado nenhuma medida de estímulo econômico, ele não fechou a porta e sinalizou que isso pode acontecer no encontro do Comitê de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês) em setembro.

Além disso, alguns dados ajudaram: os gastos dos consumidores americanos subiram 0,8% em julho, no maior avanço em cinco meses e acima da previsão de 0,5%, enquanto a renda pessoal subiu 0,3%, praticamente em linha com a previsão de 0,4%. Do lado da inflação, o núcleo do índice de preços PCE avançou 0,2%, conforme estimativas e bem abaixo da alta de 1,4% de junho.Do lado da atividade, o índice do meio-oeste teve alta de 0,5% ante junho.

O Dow Jones terminou o pregão em alta de 2,26%, aos 11.539,25 pontos, o S&P-500 avançou 2,83%, aos 1.210,08 pontos, e o Nasdaq terminou com variação positiva de 3,32%, aos 2.562,11 pontos. As bolsas europeias também terminaram com ganhos superiores a 2%.

Continua após a publicidade

No Brasil, o anúncio de que a meta de superávit primário do governo central em 2011 terá um esforço adicional de R$ 10 bilhões, para R$ 91 bilhões, fez com que crescessem as apostas de corte da taxa Selic já no encontro do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central desta semana. Esse movimento incentivou os papéis voltados ao mercado doméstico, como consumo e construção civil.

PDG ON liderou as altas do Ibovespa, com valorização de 7,92%, seguida por B2W ON, +7,90%, Cyrela ON, +7,23%, Bisa ON, +7,21%, MRV ON, +6,99%, e Lojas Americanas PN, + 6,31%.

As altas, no entanto, foram generalizadas – só dois papéis do índice recuaram: Natura ON (-3,87%) e Usiminas PNA (-1,88%).

Petrobras ON, +3,62%, Petrobras PN, +2,96%, Vale ON, +2,55%, Vale PNA, +1,92%. Na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex), o contrato futuro do petróleo para outubro subiu 2,22%, a US$ 87,27 o barril.

(Com Agência Estado)

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)