Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Bovespa sobe 2,13% na terceira alta consecutiva

Parte do impulso veio da China, onde bolsas tiveram forte ganho após novos dados mostrarem concessão recorde de crédito no setor bancário do país

Por Da Redação 16 fev 2016, 18h53

A Bovespa registrou sua terceira alta consecutiva nesta terça-feira influenciada pelo exterior e por razões domésticas. Chegou a retomar o nível de 41 mil pontos durante a sessão, mas não sustentou até o final. Vale e siderúrgicas se destacaram entre as altas e a Petrobras caiu.

O Ibovespa fechou o pregão em alta de 2,13%, aos 40.947,70 pontos, maior nível desde 6 de janeiro (41.773,14 pontos). Na mínima, marcou 40.074 pontos (-0,05%) e, na máxima, 41.206 pontos (+2,78%). Em três sessões, subiu 4,14%. No mês, voltou a acumular valorização, de 1,34%, mas, em 2016, tem perdas de 5,54%. O giro financeiro totalizou 5,098 bilhões de reais, segundo dados preliminares.

Pela manhã, o impulso comprador veio da China, onde as bolsas tiveram forte ganho após novos dados mostrarem concessão recorde de crédito no setor bancário do país e também após nova injeção de capital pelo banco central chinês.

A sessão de ganhos ainda teve influência da alta das bolsas americanas, nesta volta do feriado do Dia dos Presidentes. Às 18h07, o Dow Jones avançava 1,15%, o S&P tinha ganho de 1,38%, e o Nasdaq subia 1,94%.

Como contraponto, o petróleo terminou a sessão em baixa, depois que o encontro entre produtores em Doha terminou sem agradar ao mercado. Os países participantes concordaram apenas em manter o volume de produção, sem aumentar, mas também sem diminuir. Na Nymex, o contrato do petróleo para março terminou em queda de 1,36%, a US$ 29,04 o barril, enquanto, em Londres, o contrato para abril caiu 3,62%, a US$ 32,18 o barril. Aqui, Petrobras fechou em baixa de 2,18% na ON e de 1,77% da PN.

Continua após a publicidade

Muitos dos investidores estrangeiros compraram Bradesco PN (+3,58%) e Itaú Unibanco PN (+2,43%). Ainda no segmento financeiro, BB ON teve valorização de 1,98% e Santander unit subiu 2,06%. A perspectiva de manutenção e até mesmo corte da Selic este ano também deu sustentação aos negócios com ações na Bovespa nesta terça.

Vale ON subiu 7,42% e Vale PNA, 6,03%. No setor siderúrgico, Usiminas (PNA, +8,89%, e ON, +10,96%) subiu puxada pela notícia de que uma de suas controladoras, o grupo Nippon Steel, pode participar de um eventual aumento de capital na siderúrgica brasileira.

Leia também:

Dólar volta a fechar acima de R$ 4 com petróleo e apreensão fiscal

PIB deve cair 4% em 2016, mas ‘sensação térmica’ é pior, prevê Itaú

(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade

Publicidade