Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

BOVESPA-Índice tem mais um dia de queda por temores com Europa

(Texto atualizado com mais informações e dados oficiais de fechamento da bolsa)

Por Roberta Vilas Boas

SÃO PAULO, 4 Abr (Reuters) – A bolsa brasileira encerrou o segundo dia consecutivo com queda de mais de 1 por cento, influenciada por temores relacionados à situação na Europa, principalmente na Espanha, que realizou um leilão de títulos da dívida com aumento nos rendimentos.

O Ibovespa caiu 1,18 por cento, a 63.528 pontos. O giro financeiro do pregão foi de 6,82 bilhões de reais.

Em Nova York, o índice Dow Jones teve queda de 0,95 por cento, enquanto o S&P 500 perdeu 1,02 por cento.

A Espanha vendeu 2,6 bilhões de euros em títulos soberanos, com aumento na taxa paga aos investidores.

O lote de 1,1 bilhão de euros para janeiro de 2015 teve yield médio de 2,89 por cento, ante taxa de 2,44 por cento no leilão de 15 de março. Os 973 milhões de euros em títulos para outubro de 2016 tiveram yield de 4,319 por cento ante 3,376 por cento em 1o de março. O yield médio dos 489 milhões de euros para outubro de 2020 ficou em 5,338 por cento ante 5,156 por cento em 15 de setembro de 2011.

Para o economista Pedro Paulo da Silveira, da Tov Corretora, o ambiente ruim na Europa pesou nas bolsas externas e fez com que o Ibovespa registrasse um comportamento semelhante.

“A Bovespa acompanhou os mercados externos, com queda nos Estados Unidos e na Europa”, afirmou. “O motivo foi a ata do Fed, dizendo que pode não adotar novos estímulos para a economia e o ambiente ruim na Europa, com a Espanha pesando”, completou.

Na véspera, a ata da última reunião do Federal Reserve indicou uma menor propensão dos membros do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc) para lançar nova rodada de estímulo monetário nos Estados Unidos.

No mercado interno, pesou o comportamento das ações de bancos, que foram puxadas pelo anúncio do Banco do Brasil, de redução nos juros para compra de bens e serviços de consumo.

A ação do BB caiu 5,91 por cento, a 24,20 reais. Itaú Unibanco teve perdas de 3,08 por cento, a 33,68 reais, enquanto Bradesco recuou 2,52 por cento, a 30,90 reais, e Santander teve queda de 1,79 por cento, a 16,45 reais.

A preferencial da Petrobras também pesou, tendo registrado perdas de 3,5 por cento, a 21,76 reais. A província argentina de Neuquén, principal produtora de gás do país sul-americano, cassou a concessão de três áreas petrolíferas, sendo uma delas a Petrobras, porque as empresas não teriam realizado os investimentos necessários para aumentar a sua produção.

Ainda entre as blue chips, a preferencial da Valeperdeu 1,82 por cento, a 41,08 reais.

Na outra ponta, o destaque ficou com Embraer, com ganhos de 4,79 por cento, a 15,30 reais, influenciada pelas expectativas do mercado sobre o impacto das medidas de desoneração da folha de pagamento, anunciadas na véspera, em seus próximos resultados.(Edição de Fábio Couto)