Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

BOVESPA-Índice tem maior queda desde outubro por Grécia

(Texto atualizado com mais informações e dados oficiais de fechamento da bolsa)

Por Roberta Vilas Boas

SÃO PAULO, 6 Mar (Reuters) – A Bovespa encerrou esta terça-feira com a maior queda diária em cinco meses, em meio a aversão a risco gerada por renovadas preocupações com a Grécia.

O Ibovespa, principal índice acionário doméstico, recuou 2,76 por cento, a 65.114 pontos. Foi a maior queda desde 3 de outubro, quando recuou 2,93 por cento. O giro financeiro do pregão foi de 7,23 bilhões de reais.

Em Nova York, o índice Dow Jones caiu 1,57 por cento, enquanto o S&P 500 perdeu 1,54 por cento.

“A questão da Grécia preocupa os investidores. Uma baixa adesão dos credores privados (à troca de bônus) deixa o mercado preocupado e leva a uma queda generalizada nas bolsas”, explicou o estrategista-chefe do Banco WestLB, Luciano Rostagno.

Os credores privados da Grécia têm até quinta-feira à noite para dizer se participarão da troca de títulos, como parte do acordo de resgate de 130 bilhões de euros para deixar reduzir uma dívida em mais de 100 bilhões de euros.

Para Rostagno, o resultado do Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil no quarto trimestre de 2011, com crescimento de 0,3 por cento ante o terceiro, teve pouca influência nas negociações. “O PIB veio em linha com o esperado, sem grandes surpresas”.

Por outro lado, ele ressaltou que a redução da meta de crescimento da economia chinesa, que já influenciou na queda do Ibovespa na véspera, seguiu impactando nos negócios.

Entre as blue chips, a ação preferencial da Petrobrascaiu 3,42 por cento, a 23,75 reais. OGXperdeu 2,03 por cento, a 16,91 reais.

A preferencial da Vale teve queda de 4,45 por cento, a 40,17 reais. Na véspera, a empresa informou vai contestar a cobrança de parte de um auto de infração referente à incidência de Contribuição Social sobre Lucro Líquido (CSLL) e Imposto de Renda sobre lucros no exterior, entre 1996 e 2002.

De todo modo, a companhia informou que oferecerá bens em garantia no valor de 1,6 bilhão de reais.

ALL recuou 1,49 por cento, a 9,92 reais, após a companhia informar que teve prejuízo de 32,5 milhões de reais no quarto trimestre, ante prejuízo um ano antes de 40,6 milhões de reais no resultado pró-forma.

Entre as quatro ações do índice que fecharam o pregão em alta, CCR subiu 2,71 por cento, a 14,00 reais, seguida por CPFL, com aumento de 1,1 por cento, a 28,59 reais.(Edição de Aluísio Alves)