Clique e assine a partir de 9,90/mês

BOVESPA-Índice sobe com otimismo após acordo na Grécia

Por Da Redação - 13 fev 2012, 11h59

SÃO PAULO, 13 Fev (Reuters) – A bolsa brasileira operava em alta no pregão desta segunda-feira, seguindo os mercados externos e o otimismo gerado pela aprovação pelo Parlamento da Grécia de medidas necessárias para garantir um resgate financeiro internacional e evitar um calote desastroso de sua dívida.

Às 12h53, o Ibovespa subia 1,69 por cento, a 65077 pontos. O giro financeiro do pregão era de 3,203 bilhões de reais.

Na Europa, o índice de FTSEurofirst tinha ganhos de 0,65 por cento, enquanto nos Estados Unidos, o índice Dow Jonesvalorizava 0,46 por cento.

“Tivemos um dia ruim na sexta, com o ceticismo de que o Parlamento grego fosse aprovar (as medidas), mas aprovou. E esse impulso externo ajuda a diminuir um pouco a correção de sexta-feira”, afirmou o economista-sênior do Espírito Santo Investment Bank, Flávio Serrano.

Continua após a publicidade

Ele ressaltou que o acordo na Grécia diminui a pressão de curto prazo sob os países da Europa, mas ainda há preocupações de que o risco de calote atinja países como Espanha e Itália.

Entre as ações do Ibovespa, Petrobras seguia a alta do mercado e recuperava parte das perdas da última sexta-feira, quando recuou cerca de 8 por cento, após divulgar resultados que decepcionaram os investidores.

A preferencial da empresa subia 2,38 por cento, a 24,05 reais, enquanto a ordinária avançava 2,06 por cento, a 25,78 reais.

As preferenciais da Vale também contribuíam para a alta do índice, com ganhos de 1,62 por cento, a 43,32 reais.

Continua após a publicidade

Destaque também para a TAM, com alta de 1,70 por cento, a 38,89 reais, apesar da queda de 36,4 por cento em seu lucro líquido no quarto trimestre, ante igual período de 2010.

Na outra ponta, ações do setor de energia elétrica registravam as maiores perdas, com a ordinária da Eletrobrasem baixa de 0,74 por cento, a 18,85 reais, e a preferencial com perdas de 0,63 por cento, a 26,69 reais.(Por Roberta Vilas Boas; Edição de Diogo Ferreira Gomes)

Publicidade