Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

BOVESPA-Índice sobe 3% por ânimo de investidores com Europa

Por Da Redação - 6 out 2011, 13h06

SÃO PAULO, 6 de outubro (Reuters) – A Bovespa exibia forte alta nesta quinta-feira, com investidores mais animados após o Banco Central Europeu e o BC do Reino Unido terem anunciado medidas para garantir liquidez.

Às 13h01, o índice subia 3,09 por cento, a 52.589 pontos. O volume financeiro era de 2,8 bilhões de reais.

Nesta quinta-feira, o Banco Central Europeu (BCE) disse que retomará a compra de bônus cobertos reabrindo o programa de 60 bilhões de euros que esteve em vigência entre 2009 e 2010.

O Banco Central Britânico decidiu comprar 75 bilhões de libras adicionais em ativos para proteger a economia da Grã-Bretanha contra a crise de dívida da zona do euro e manter a recuperação, expandindo o programa de compra de ativos para um total de 275 bilhões de libras.

Publicidade

O economista-sênior do Espiríto Santo Investment Bank, Flávio Serrano, afirmou que esses anúncios trouxeram alívio aos investidores, e lembrou que o Ibovespa tem tido comportamento mais fraco do que os mercados externos nos últimos dias.

“Nós temos visto o Ibovespa bem descolado do resto do mundo. O dia está relativamente bom lá fora, mas na quarta-feira também foi um dia bom e a bolsa brasileira subiu muito menos (que as demais)”, afirmou.

O economista lembrou que no último pregão, a Bovespa foi prejudicada pelo comportamento de algumas ações como a Petrobras , o que não ocorre nesta quinta, com o papel subindo 3,9 por cento, a 18,92 reais.

Outras ações de peso no índice registravam forte alta, como as preferenciais da Vale , com ganhos de 2,1 por cento, a 39,52 reais. OGX subia 4,26 por cento, a 11,26 reais.

Publicidade

Eike Batista, controlador do grupo EBX, afirmou que vai antecipar de 2012 para este ano a contratação de mais quatro plataformas do tipo FPSO para a companhia de petróleo do grupo.

Entre as ações que fazem parte do índice, apenas duas operavam em baixa. Telesp recuava 2 por cento, a 46,55 reais. Oi cedia 0,7 por cento, a 17,47 reais.

(Por Roberta Vilas Boas; Edição de Aluísio Alves)

Publicidade