Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

BOVESPA-Índice perde força após abertura positiva

Por Da Redação 5 jun 2012, 13h05

SÃO PAULO, 5 Jun (Reuters) – A tendência positiva deu lugar à indefinição na Bovespa nesta terça-feira, com investidores buscando barganhas, após o forte tombo em maio, mas com preocupações com a crise na zona do euro, que impunha forte clima de cautela nos mercados.

Às 13h02, o Ibovespa tinha oscilação positiva de 0,02 por cento, a 53.428 pontos. Na máxima até agora, o índice chegou a subir 0,94 por cento. O giro financeiro era de 1,96 bilhão de reais.

“O clima de medo permanece, mas quem compra na abertura está tentando pegar oportunidades na bolsa, com base no sentimento de que o preço de algumas ações está atrativo”, disse o gerente de renda variável da H.Commcor, Ariovaldo Santos.

“Os clientes ligam perguntando: será que segura a alta? Vemos giro de mercado, esse movimento não traduz reversão de tendência, porque a compra tem que ser consistente, mas não estamos vendo dinheiro para sustentar o mercado. O pessoal compra na abertura, mas dependendo do mercado já zera posições no mesmo dia”.

Esse foi o caso do pregão da véspera, quando o Ibovespa ficou no campo positivo durante o dia, mas nos ajustes finais teve oscilação positiva de apenas 0,03 por cento.

Continua após a publicidade

Pela manhã, investidores especulavam se a teleconferência dos líderes do G7 resultaria no anúncio de novos estímulos para a economia da zona do euro, mas na ausência de medidas concretas, o foco recaiu sobre indicadores dos Estados Unidos.

O setor de serviços norte-americano mostrou leve alta em maio, com melhora em novas encomendas, segundo o relatório do Instituto de Gestão de Fornecimento (ISM, na sigla em inglês).

Em Wall Street, o índice Dow Jones operava em baixa de 0,17 por cento. Já o principal índice das ações europeiasfechou em alta de 0,36 por cento.

Por aqui, BM&FBovespa subia 1,88 por cento, a 9,73 reais. Também na coluna de ganhos, Hypermarcasganhava 1,68 por cento, a 10,88 reais. OGX subia 0,6 por cento, a 8,53 reais.

Em sentido oposto, a ação preferencial da Petrobrastinha baixa de 0,84, a 18,95 reais. A preferencial da Vale caía 0,3 por cento, a 35,91 reais.

A líder de perdas do índice era B2W, tombando 5,8 por cento, a 5,19 reais.(Por Danielle Assalve; Edição de Aluísio Alves)

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês