Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

BOVESPA-Ata do Copom esfria ânimos e faz índice recuar

SÃO PAULO, 15 Mar (Reuters) – A Bovespa recuava nesta quinta-feira, após a ata do Comitê de Política Monetária (Copom) esfriar os ânimos de investidores sobre a intensidade dos próximos cortes de juros.

Às 12h36, o Ibovespa caía 0,42 por cento, a 67.970 pontos, puxado pelas ações de bancos, construtoras e varejistas. O giro financeiro do pregão era de 2,63 bilhões de reais.

Após cortar a Selic em 0,75 ponto percentual na semana passada, para 9,75 por cento, o Copom informou nesta manhã que pretente levar a Selic para patamares “ligeiramente acima dos mínimos históricos” e estabilizá-la neste nível.

Com isso, a curva futura de juros, que após a reunião da semana passada considerava uma taxa abaixo de 9 por cento no fim do ano, passou a considerar a Selic em 9 por cento.

“Quando teve o corte de 0,75 na semana passada, o mercado precificou novas reduções, e tinha gente já prevendo um novo corte de 0,75”, afirmou o operador Luiz Roberto Monteiro, da Renascença DTVM.

“Isso jogou um balde de água fria. O setor bancário, as construtoras e varejistas sofrem em função disso”, ressaltou.

Banco do Brasil perdia 1,2 por cento, a 28,66 reais, enquanto Santander recuava 0,8 por cento, a 18,74 reais.

Entre as construtoras, Cyrela tinha queda de 2,76 por cento, a 18,31 reais. Rossi desvalorizava 2,3 por cento, a 10,94 reais. Das varejistas, Lojas Americanasera destaque, com recuo de 2,9 por cento, a 17,00 reais, enquanto Pão de Açúcar perdia 1,9 por cento, a 82,42 reais.

No segmento de papel e celulose, Klabin tinhaqueda de 2,6 por cento, a 9,41 reais. Nesta quinta-feira, o BTG Pactual reduziu sua recomendação para o papal de “compra” para “neutra”.

Marfrig perdia 1,88 por cento, a 11,99 reais, após a companhia informar a desistência do acordo de logística com a JSL, que cedia 4,35 por cento, a 11,19 reais.

A preferencial da Petrobras tinha baixa de 0,97 por cento, a 24,59 reais.

Já a preferencial da Vale tinha alta de 1,48 por cento, a 41,71 reais, após a mineradora ter anunciado na quarta-feira à noite que teve decisão favorável do Superior Tribunal de Justiça sobre a cobrança de tributos sobre lucros de coligadas e controladas no exterior.

Fora do índice, destaque para a Queiroz Galvão, desabava 17 por cento, a 12,94 reais, após novas avaliações no poço Ilha do Macuco, na bacia de Santos, decepcionarem o mercado.(Por Roberta Vilas Boas; Edição de Aluísio Alves)