Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

‘Bolt S/A’: Atleta jamaicano faz fortuna com nome que virou marca

Só em 2015, entre premiações e patrocínios, o velocista faturou o equivalente a mais de 100 milhões de reais

O jamaicano Usain Bolt superou todos os limites possíveis. Além de ser multicampeão olímpico, mundial e recordista dos 100 metros e 200 metros rasos e revezamento 4×100 metros, o velocista conseguiu construir um império de negócios. Hoje, até mais do que uma estrela olímpica, Bolt é uma marca.

Só no ano passado, entre premiações e patrocínios, o velocista arrecadou 32,5 milhões de dólares (mais de 100 milhões de reais), o que fez dele o 32º atleta mais bem pago do mundo, segundo o ranking elaborado pela revista Forbes. Ele tem acordos comerciais com Puma, Nissan, Hublot, Visa, Virgin Media e com a japonesa All Nippon Airways. Há também a Optus, uma empresa de telecomunicações australiana, e a Enertor, que vende palmilhas esportivas.

A marca de bebidas isotônicas Gatorade deu nome a uma de suas bebidas em homenagem a ele. Bolt transformou seu nome em marca registrada, assim como sua pose ‘Lightning Bolt’.

O chefe do departamento de marketing esportivo da Gatorade, Jeff Kearney explicou à CNN Money o apelo de Bolt. “Nós temos um elenco incrível de grandes atletas em diversos esportes que são únicos”, disse. “Mas a personalidade alegre de Bolt, juntamente com seu domínio global em um esporte no qual a maioria das pessoas pode se identificar resulta em um atleta que fornece a marcas como a Gatorade um verdadeiro alcance global.”

Seu comportamento vivaz e alegre é tão atraente para as marcas americanas que o corredor jamaicano virou estrela em anúncios olímpicos nos Estados Unidos, mesmo ele sendo um rival da equipe americana.

O porta-voz da americana Track & Field explica que ele tem sido “fantástico para o valor de entretenimento” do esporte. E completa, dizendo que gente de todas as nações gostam de assisti-lo competir.

Bolt pode saber o seu valor, mas ele também sabe retribuir o que ganha – ou parte disso. Por meio de sua fundação, com sede na Jamaica, o velocista ajuda crianças e apoia entidades. No ano passado, Bolt doou 1,3 milhão de dólares e equipamentos de futebol e críquete para sua antiga escola. Ele também forneceu à escola todos os equipamentos necessários para a prática de atletismo – uma parceria com a Puma, com a qual assinou contrato em 2002.

Também em sua terra natal, o atleta abriu um campo para a prática de diversas modalidades e levantou fundos para cirurgias cardíacas pediátricas. Além disso, em parceria com a Samsung, criou oficinas de fotografia para os alunos.

Leia também:
Consumidor começa a trocar cartões de crédito por cartões de loja
Mansão da Playboy é vendida por US$ 100 milhões; veja fotos

A estrela investiu os 4 milhões de dólares que arrecadou com uma festa para celebrar a quebra do recorde mundial dos 100 metros em um centro de saúde. Bolt completou a prova em 9,58s em 2009, no Mundial de Atletismo de Berlim.

O jamaicano tem uma loja online em que vende artigos esportivos e equipamentos de sua marca. Recentemente, anunciou o lançamento de sua empresa, a Champion Shave, que vende aparelhos de barbear de seis lâminas a preços promocionais.

Assista à final dos 100m rasos no Mundial de Atletismo de Berlim, quando Bolt bateu o recorde mundial: