Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Bolsonaro volta a criticar IBGE e diz que desempregados são mais de 12 mi

Presidente afirma que número atual de pessoas sem emprego é superior a 12 milhões e que não vai "polemizar novamente"

O presidente Jair Bolsonaro voltou a questionar nesta terça-feira, 30, os indicadores de desemprego e a metodologia utilizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e afirmou que há muito mais pessoas sem emprego no país do que o número divulgado.

Em discurso, no Palácio do Planalto, o presidente da República afirmou que o número atual de desempregados é superior a 12 milhões. Entretanto, a pesquisa divulgada hoje pelo IBGE mostrou que 13,4 milhões de brasileiros estavam à procura de emprego no primeiro trimestre deste ano.

“Se fala em 12 milhões de desempregados. Sim, eu acho que é muito mais do que isso. Desculpa IBGE, mas é muito mais do que isso. E não vou polemizar novamente”, afirmou o presidente.

No início de abril, durante visita a Israel, Bolsonaro já havia criticado o método usado pelo instituto. “Com todo respeito ao IBGE, essa metodologia, em que pese ser aplicada em outros países, não é a mais correta. (…) Tenho dito aqui, fui muito criticado, volto a repetir, não interessam as críticas. Tem de falar a verdade”, disse. 

Em novembro, após ser eleito, Bolsonaro havia dito que a pesquisa relativa ao mercado de trabalho “é uma farsa”. “Vou querer que a metodologia para dar o número de desempregados seja alterada no Brasil”, disse, completando ainda que gostaria que o IBGE divulgasse os dados de emprego e não de desocupação, como é feito atualmente. 

Segundo pesquisa do IBGE divulgada nesta terça-feira, a taxa de desemprego no país subiu para 12,7% no primeiro trimestre deste ano, acima dos 11,6% registrados no último trimestre de 2018. Com isso, o total de pessoas à procura de emprego no país chegou a 13,4 milhões.

Nesta terça-feira, o presidente falou ainda sobre a preparação para garantia de empregos na quarta revolução industrial. “Estamos na Quarta Revolução Industrial, com inteligência artificial. Como está a formação do homem e da mulher do futuro? O que escolas técnicas e faculdades têm feito para que realmente nós possamos ter mercado de trabalho para essa quantidade enorme de pessoas que temos no Brasil?”.

Bolsonaro também elogiou a Medida Provisória da Liberdade Econômica e disse ter dado liberdade para a Casa Civil e a equipe econômica trabalharem. Segundo ele, a medida vai ajudar empreendedores no Brasil. O presidente disse acreditar que tem mais do que a maioria na Câmara e no Senado de apoio de parlamentares “com espírito patriótico para salvar o Brasil”.

(Com Estadão Conteúdo)