Clique e assine a partir de 9,90/mês

Bolsonaro diz desconhecer proposta de imposto sobre transação digital

'Não chegou para mim ainda', afirmou o presidente sobre tributo especulado pelo ministro Paulo Guedes

Por Da Redação - Atualizado em 20 dez 2019, 11h14 - Publicado em 20 dez 2019, 10h32

O presidente Jair Bolsonaro disse nesta sexta-feira, 20, que ainda não recebeu qualquer proposta a respeito de um eventual imposto sobre transações financeiras digitais, mencionado pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, nesta semana. Segundo o presidente, a intenção da equipe econômica do governo é substituir impostos para simplificar o sistema tributário.

Perguntado sobre a possível tributação cogitada por Guedes, Bolsonaro afirmou: “Se ele está estudando, não chegou para mim ainda”. “Ele quer, na verdade, substituir impostos. Ele quer simplificar essa teia de impostos”, acrescentou. “Qualquer fiscal que chegar lá na sua empresa vai achar uma maneira de te multar. Para você ser patrão aqui hoje em dia, você tem que ser um herói, ter poderes sobrenaturais para fugir das fiscalizações.”

Na quarta-feira 18, Guedes afirmou que um imposto sobre transações é “inescapável” num contexto de desoneração da folha de pagamento das empresas – ideia que segue na mira do governo para diminuir o custo de contratação e impulsionar empregos. Guedes afirmou que o novo tributo poderia ser sobre transações feitas por meios eletrônicos, como celulares. O ministro, no entanto, refutou em entrevista coletiva a recriação da CMPF, o antigo imposto do cheque. Uma possível reedição da medida derrubou o secretário da Receita, Marcos Cintra, em setembro.

Bolsonaro também afirmou na entrevista que o Brasil deve encerrar o ano com criação de 1 milhão de vagas de emprego. De acordo com dados do governo, no acumulado do ano até novembro já foram abertas 948.344 vagas com carteira assinada.

Continua após a publicidade

(Com Reuters)

Publicidade