Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Bolsonaro defende pecuária em terras indígenas para baratear carne

'Queremos que o índio possa fazer tudo que um fazendeiro pode fazer', afirmou o presidente, defendendo uma 'Lei Áurea para o índio'

Por Da Redação Atualizado em 19 dez 2019, 17h04 - Publicado em 19 dez 2019, 16h49

O presidente Jair Bolsonaro afirmou, nesta quinta-feira, 19, que, para baratear o preço da carne, as demarcações indígenas deveriam ser utilizadas para a criação de bois. “O preço da carne subiu. Nós temos de criar mais bois aqui, para diminuir o preço da carne e eles podem criar boi”, afirmou o presidente. Ao deixar o Palácio da Alvorada, Bolsonaro afirmou que um projeto que permite a exploração de minérios nas áreas já está pronto e em vias de ser apresentado ao Congresso Nacional. Segundo o presidente, a ideia é dar condições aos índios de arrendar suas terras para pecuária ou para produção de soja ou milho, caso seja do interesse deles.

Na avaliação do presidente, a possibilidade, tanto de explorar minérios como a agropecuária, representará, para os índios, uma Lei Áurea. “Queremos que o índio possa, na sua terra, fazer tudo que um fazendeiro, ao lado, pode fazer na dele. O preço da carne subiu? Temos então de criar mais boi aqui. Não teve a Lei Áurea? Vou então inventar um nome. Quero dar a Lei Áurea para o índio”, disse.

Ao lembrar que as áreas indígenas no Brasil são maiores do que a Região Sudeste, Bolsonaro voltou a questionar o interesse estrangeiro nessas reservas. “Grandes reservas Yanomami têm duas vezes o tamanho do Rio de Janeiro; Raposa Serra do Sol, entre outras, se tornaram independentes em nome da proteção deles [os índios], mas a ideia não é protegê-los, e sim pegar o que eles têm de bom. Vocês acham que os estrangeiros estão preocupados com o futuro deles? Não estão”, argumentou Bolsonaro.

  • “Começou uma nova fase. Quero dar independência para os índios. Se quiserem pegar a terra e arrendar para alguém plantar soja ou milho, faça isso respeitando a nossa legislação. Os índios de Pareci, por exemplo, já são autônomos e são produtores rurais. O que o mundo faz? Querem demarcar cada vez mais terras indígenas e deixá-los lá como se fossem homens pré-históricos. Querem deixar as terras virgens e intactas para serem exploradas no futuro por outros povos. Por que você que é branco pode garimpar na sua fazenda e eles, que são índios, não podem?”, acrescentou.

    (Com Agência Brasil)

    Continua após a publicidade
    Publicidade