Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês

Bolsonaro comemora resultado do PIB: ‘Estamos no caminho certo’

'É algo inesperado para os analistas econômicos, mas, da nossa parte, sabíamos que viria uma boa notícia', afirmou o presidente

Por da Redação Atualizado em 3 dez 2019, 12h16 - Publicado em 3 dez 2019, 11h50

O presidente Jair Bolsonaro comemorou o resultado do Produto Interno Bruto (PIB), que avançou 0,6% no terceiro trimestre, segundo dados divulgados nesta terça-feira, 3, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). “É algo inesperado para os analistas econômicos, mas, da nossa parte sabíamos que viria uma boa notícia, e ela veio numa boa hora”, afirmou, durante discurso em um fórum promovido pela Controladoria-Geral da União (CGU). No ano, o acumulado do PIB é de 1%. 

No Twitter, o presidente comemorou o resultado da economia brasileira no terceiro trimestre e chamou a atenção para outros indicadores econômicos, como a taxa básica de juros, a Selic, a 5% ao ano, menor patamar da história. “Certeza de que estamos no caminho certo”, escreveu.

Apesar do avanço, o resultado reflete uma tímida retomada da atividade econômica do país, que registrou estagnação no resultado do Produto Interno Bruto (PIB) de janeiro a março e avanço de 0,5% no segundo trimestre. Os valores foram revisados pelo IBGE, que originalmente apresentaram queda de 0,2% e crescimento de 0,5%, respectivamente. Em valores correntes, o PIB do terceiro trimestre totalizou 1,842 trilhão de reais. Na comparação com o mesmo trimestre do ano anterior, o crescimento é de 1,2%.

A maior alta foi da agropecuária com crescimento de 1,3%, seguida pela indústria (0,8%) e pelos serviços (0,4%). “Na ótica da demanda, os investimentos vêm crescendo, puxado pela construção, que havia caído 20 trimestres consecutivos e desde o trimestre anterior mostra recuperação, quando comparado a igual período de 2018. O consumo das famílias também cresce, enquanto as despesas do governo – incluindo pessoal e demais gastos, exceto investimentos -, caem em todas as esferas em função das restrições orçamentárias”, analisa a coordenadora de Conta Nacionais do IBGE, Rebeca Palis.

“Já entre as atividades que caíram, o destaque é a indústria de transformação, afetada pela queda nas exportações em função da menor demanda mundial e a crise da Argentina”, analisa Palis. No setor externo, as exportações de bens e serviços recuaram 2,8%, enquanto as importações cresceram 2,9% na mesma comparação.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)