Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Bolsas na Europa fecham com perdas sob impasse da Grécia

Por Gabriel Bueno e Álvaro Campos

Londres – Os principais índices das bolsas europeias fecharam em queda, com temores por causa da demora para a reestruturação da dívida da Grécia. Além disso, os investidores parecem ter feito uma pausa, após os fortes ganhos registrados na sexta-feira. O índice pan-europeu Stoxx 600 recuou 0,1%, para 264,27 pontos, interrompendo uma série de quatro sessões consecutivas de alta.

Em um dia de agenda fraca na Europa, o dado mais importante veio da Alemanha. As encomendas à indústria no país subiram mais que o previsto em dezembro, com um avanço de 1,7% sobre novembro, ante previsão de 1,0%. Nos EUA também não será divulgado nenhum indicador relevante.

Segundo a IG Index, os investidores estão divididos entre uma série de dados positivos sobre a economia norte-americana e o interminável problema da Grécia. “Ou eles optam por acreditar na história dos EUA, com a maior economia do mundo se libertando da ameaça de uma recessão; ou eles continuam se preocupando com a Grécia, com o país se aproximando cada vez mais do abismo”.

As bolsas europeias reduziram um pouco suas perdas após o presidente do Federal Reserve de St. Louis, James Bullard, afirmar que o mercado imobiliário dos EUA está começando a se recuperar e que a taxa de desemprego no país deve cair abaixo de 8% este ano.

Em Londres, o índice FTSE 100 fechou em queda de 0,15%, para 5.892,20 pontos. A Glencore teve o pior desempenho, com queda de 4,5%, com os investidores digerindo a notícia de que a possível fusão com a Xstrata pode ser investigada pela comissão de competição da União Europeia. Já Randgold Resources teve a maior alta, de 2,2%, após divulgar resultados do quarto trimestre que foram bem recebidos.

O índice CAC 40, da Bolsa de Paris, caiu 0,66%, para 3.405,27 pontos. O impasse nas negociações para a reestruturação da dívida grega pesou sobre o setor bancário (Crédit Agricole -2,7%, Société Générale -2,9% e BNP Paribas -0,6%).

Na Alemanha, o índice DAX, da Bolsa de Frankfurt, ficou praticamente estável, com queda de 0,03%, a 6.764,83 pontos. RWE teve alta de 2,6%, após o UBS aumentar o preço-alvo da ação e elevar sua classificação. Commerzbank (-1,25%), Deutsche Bank (-1,15%) e Lufthansa (-1,19%) tiveram perdas.

Em Milão, o índice FTSE MIB teve queda de 0,30%, para 16.389,82 pontos. Em Lisboa, o índice PSI 20 teve queda de 0,17%, para 5.481,31 pontos. Em Madri, o índice Ibex 35 teve queda de 0,29%, para 8.835,30 pontos. As ações da petroleira Repsol tiveram desvalorização de 4,1%, com especulações de que a unidade da companhia na Argentina pode ser nacionalizada. As informações são da Dow Jones.