Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Bolsas europeias sobem com expectativa sobre balanços

Por Da Redação 10 jan 2012, 07h33

Por Danielle Chaves

Londres – As bolsas europeias operam em alta, em meio a uma sensação geral de otimismo com o início da temporada de balanços, que começou simbolicamente ontem com a divulgação dos resultados do quarto trimestre de 2011 da norte-americana Alcoa. Colabora para o tom positivo a elevação da recomendação do UBS para as ações do UniCredit. No entanto, operadores alertam que os ganhos podem ter vida curta, já que a crise de dívida da zona do euro ainda não foi resolvida. Às 8h20 (de Brasília), Londres subia 0,98%, Paris avançava 2,03% e Frankfurt ganhava 2,12%.

Em Londres, a varejista Marks & Spencer, conhecida como M&S, subia 2,76%, às 8h20 (de Brasília), depois de anunciar um aumento nas vendas de alimentos que ofuscou o declínio nas vendas de mercadorias em geral. A M&S é considerada uma referência para o consumo no Reino Unido. No setor bancário, o italiano UniCredit avançava 5,16% em Milão após ter a recomendação para suas ações elevada de “neutra” para “comprar” pelo UBS, com base em seu baixo valor e na forte base de capital que será gerada pela emissão de 7,5 bilhões de euros em ações com direitos especiais.

Na ponta negativa, a holandesa Philips Electronics caía 6,07% em Amsterdã. A empresa fez um alerta de lucro, dizendo que seus resultados do quarto trimestre de 2011 serão fracos em razão de problemas na Europa. A alemã Siemens foi afetada negativamente e cedia 2,34% em Frankfurt. Ontem a siderúrgica norte-americana Alcoa abriu a temporada de balanços anunciando prejuízo nos últimos três meses do ano passado. Apesar de negativo, o resultado ficou em linha com o esperado pelos economistas.

Entre os poucos indicadores divulgados nesta manhã, a produção industrial da França surpreendeu com aumento de 1,1% em novembro, contrariando as previsões de queda de 0,2%. No restante do dia as atenções deverão se voltar para a reunião entre a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, e a diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde, marcada para as 17h (de Brasília). As informações são da Dow Jones.

Continua após a publicidade
Publicidade