Clique e assine com até 92% de desconto

Bolsas europeias fecham sem sinal único antes de Fed

Por Da Redação 1 ago 2012, 14h08

Por Sergio Caldas

Londres – As bolsas europeias fecharam sem direção definida nesta quarta-feira, antes das decisões de política monetária nos EUA e Europa. O índice Stoxx Europe 600, no entanto, subiu 0,5%, para 262,57 pontos, recuperando parte da perda de 1% do pregão anterior.

O Federal Reserve, o BC norte-americano, faz seu anúncio de juros às 15h15 (de Brasília). O comunicado da reunião deste mês será acompanhado de perto, já que os investidores têm esperança de que o banco sinalize disposição de tomar novas medidas para ajudar na recuperação da economia dos EUA.

Amanhã, o foco mudará para os anúncios de política monetária do Banco Central Europeu (BCE) e do Banco da Inglaterra (BoE, na sigla em inglês).

O índice de Londres, o FTSE 100, apresentou hoje o maior ganho, de 1,38%, e fechou na máxima do dia, aos 5.712,82 pontos. O mercado inglês preferiu se concentrar nos últimos balanços favoráveis de empresas e ignorar indicadores econômicos fracos, como o índice de atividade econômica (PMI, na sigla em inglês) do Reino Unido, que cedeu para 45,4 em julho, de 48,4 em junho. A Next avançou 6,8% e o Standard Chartered, impulsionado pelo bom resultado trimestral, subiu 4%.

Continua após a publicidade

Em Paris, o índice CAC-40 subiu 0,91%, para 3.321,56 pontos, ficando apenas sete pontos abaixo do nível mais alto do dia. EADS liderou os ganhos, com alta de 0,6%, após avaliações positivas de analistas. Schneider Electric, cujo balanço foi bem recebido por investidores, deu um salto de 4,7%.

O índice FTSE Mib, de Milão, teve ganho de 0,27%, para 13.928,59 pontos. Segundo um trader, comentários do primeiro-ministro Mario Monti ajudaram a sustentar o mercado italiano. Monti disse hoje esperar que o fundo de resgate permanente da União Europeia, conhecido como Mecanismo Europeu de Estabilidade (ESM), aprove a licença bancária “no devido momento”. No setor financeiro, Intesa SanPaolo, UniCredit e Monte dei Paschi avançaram 0,5%, 0,4% e 1,8%, respectivamente. Mediaset, por outro lado, caiu quase 11% depois de ter seu preço alvo reduzido por várias corretoras após o fraco resultado do primeiro semestre.

Em Frankfurt, o índice Dax fechou em queda de 0,26%, aos 6.754,46 pontos, em meio ao ceticismo entre os investidores locais em relação ao comunicado do Fed, de acordo com um trader. A Infineon, que no pregão anterior havia disparado 6,7%, caiu 3,5% num movimento de realização de lucros. A BMW perdeu 2,9% depois de seus diretores dizerem que esperam aumento da concorrência. O Deutsche Bank cedeu 1,5%.

O índice Ibex-35, de Madri, perdeu 0,27%, encerrando a quarta aos 6.754,46 pontos, pressionado por comentários de Jens Weidmann, presidente do Bundesbank, o banco central da Alemanha, e membro do conselho diretor do BCE. Weidmann disse hoje que o BC europeu “precisa estar ciente” de que sua independência “também exige que a instituição respeite e não exceda seu próprio mandato”.

A Bolsa de Lisboa registrou a maior perda de hoje. O índice PSI-20 recuou 0,85% e fechou aos 4.648,33 pontos, apenas quatro pontos acima da mínima do dia. As informações são da Dow Jones.

Continua após a publicidade
Publicidade