Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Bolsas europeias fecham no vermelho

Novas ameaças das agências de classificação de risco contra os países da zona do euro pesaram na avaliação dos investidores

As principais bolsas europeias fecharam a segunda-feira em ligeira queda, após novas ameaças das agências de classificação financeira contra os países da zona do euro e em um contexto de baixo volume de negócios, devido à proximidade do Natal.

Frankfurt fechou com perdas de 0,54%; Londres recuou 0,42%; Lisboa, 0,19%; e Milão, 0,16%. As únicas exceções foram as bolsas de Madri – que terminou em alta de 0,6%, após o anúncio do próximo presidente do governo, Mariano Rajoy, das grandes linhas de seu programa de rigor – e de Paris, também com valorização de 0,6%.

Wall Street apresentava queda no momento do fechamento europeu, com o Dow Jones perdendo 0,45% e o Nasdaq recuando 0,43%.

Os mercados asiáticos sofreram com as possíveis consequências para a região da morte do líder norte-coreano Kim Jong-Il, que se somaram à preocupação persistente sobre a crise da dívida europeia. Seul perdeu 3,43% e Tóquio recuou 1,26%. “Os que esperavam por um fim de semana tranquilo não contavam com os anúncios das agências de classificação de sexta-feira à noite nem com a morte no fim de semana do líder norte-coreano”, disse Michael Hewson, da CMC Markets.

A agência de classificação Fitch Ratings anunciou nesta sexta-feira a possibilidade de rebaixar a nota da dívidas soberana de seis países da zona do euro, entre eles Espanha e Itália, e colocou a França em perspectiva negativa. Já a Moody’s rebaixou em dois escalões a nota da Bélgica, para aa3.

O euro, por sua vez, segue perdendo terreno ante o dólar. Às 17H00 GMT (15H00 de Brasília), a moeda europeia valia 1,3020 dólar, contra 1,3032 na sexta-feira à noite.

(com Agence France-Presse)