Clique e assine a partir de 8,90/mês

Bolsas europeias fecham em forte alta nesta terça-feira

Principal índice da bolsa de Paris tem o maior nível de fechamento desde julho de 2011 - e o da bolsa espanhola, o maior desde janeiro

Por Da Redação - 5 mar 2013, 17h44

As principais bolsas europeias encerraram o pregão em forte alta nesta terça-feira com os índices acionários de Paris (França) e Madri (Espanha) registrando máximas de fechamento. Os principais motores dos bons desempenhos do dia foram os dados de atividade industrial e vendas no varejo na zona do euro, além do otimismo que também paira nos Estados Unidos, pelo menos nesta terça. Números do setor manufatureiro dos EUA também colaboraram para impulsionar o apetite por risco dos investidores.

Europa – O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou com alta de 1,8%, aos 294,11 pontos, o maior nível de fechamento desde junho de 2008. Entre os indicadores anunciados nesta terça-feira, um relatório mostrou que as vendas no varejo da zona do euro subiram 1,2% em comparação com dezembro e caíram 1,3% em relação a janeiro do ano passado. A alta mensal foi a maior desde abril de 2011. Os resultados vieram melhores do que as estimativas dos economistas consultados pela Dow Jones, que projetavam alta mensal de 0,3% e queda anual de 2,9%.

Contudo, a consultoria Markit afirmou que o índice dos gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) do bloco caiu para 47,9 pontos em fevereiro, de 48,6 pontos em janeiro, ante previsão de 47,3. As leituras abaixo de 50 apontam contração da atividade.

Estados Unidos – Nos EUA, o índice de atividade do setor de serviços, medido pelo Instituto para Gestão de Oferta (ISM, na sigla em inglês) subiu a 56,0 pontos em fevereiro, ante 55,2 pontos em janeiro. O avanço contrariou a estimativa dos analistas ouvidos pela Dow Jones, que previam recuo para 55,0 pontos. Com isso e um maior otimismo quanto à recuperação das principais economias globais, o índice Dow Jones bateu recorde histórico nesta terça-feira, ultrapassando a marca anterior, de 14.198 pontos, de 2007.

Destaques – Na Europa, o índice CAC-40, da Bolsa de Paris, fechou em alta de 2,1%, para 3.787,19 pontos, o maior nível de fechamento desde julho de 2011. Renault subiu 3,9%, após a montadora revelar novos modelos no Geneva Motor Show.

Continua após a publicidade

Na Bolsa de Madri, o índice Ibex-35, fechou com alta de 2,15%, para 8.423,30 pontos, o maior nível de fechamento desde janeiro. Os destaques do pregão foram Inditex (+3,5%), Telefónica (+2,9%); Grifols (+0,2%), e Popular (+0,3%).

O índice FTSE 100, da Bolsa de Londres (Grã-Bretanha), encerrou com alta de 1,36%, a 6.431,95 pontos. Os investidores foram encorajados pelo índice dos gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) do setor de serviços do Reino Unido, que subiu para 51,8 em fevereiro, de 51,5 em janeiro – a leitura mais alta desde setembro. Entre os destaques da sessão estavam as ações da Serco (+8,9%) e da Wood Group (+7,9%), que anunciaram seus resultados no ano fiscal.

Na Bolsa de Frankfurt (Alemanha), o índice DAX fechou em alta de 2,32%, para 7.870,31 pontos. As ações da Daimler encerraram com ganho de 3,7%, após o executivo-chefe da empresa, Dieter Zetsche, dizer que prevê crescimento apesar de um declínio do mercado.

O índice FTSE Mib, da Bolsa de Milão (Itália) subiu 2,78%, para 15.974,30 pontos. As ações da Saipem tiveram o melhor desempenho na sessão, subindo 8,2%, com o anúncio do Goldman Sachs de que elevou a recomendação para os papéis da companhia.

O índice PSI 20, da Bolsa de Lisboa, em Portugal, encerrou com avanço de 1,95%, para 6.027,52 pontos.

(com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade
Publicidade