Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Bolsas europeias caem na véspera de reunião decisiva

Por Da Redação - 25 out 2011, 14h01

Por Gabriel Bueno

Londres – Os principais índices do mercado de ações da Europa fecharam em queda, com o nervosismo dominando os mercados às vésperas da reunião de líderes da zona do euro, que pode resultar em um plano para enfrentar a crise da dívida. O índice pan-europeu Europe 600 caiu 0,7%, para 240,29 pontos, após subir 1,3% na sessão anterior. As ações de bancos tiveram perdas, com BNP Paribas e Société Générale caindo ambos 3,8% em Paris, UniCredit recuando 3,4% em Milão e Barclays cedendo 3,6% em Londres.

O encontro dos chefes de Estado da União Europeia deve ocorrer na tarde de amanhã, quando é esperado o anúncio de um pacote de medidas para enfrentar a crise da dívida. O pacote deve ter três elementos: a recapitalização dos bancos europeus, a reestruturação da dívida da Grécia e a alavancagem de 440 bilhões de euros do fundo de resgate da zona do euro. O presidente da Comissão Europeia, José Manuel Barroso, disse hoje estar confiante com um resultado bem-sucedido do encontro de amanhã.

“O principal assunto é se as autoridades europeias poderão finalmente dar um fim à crise da dívida de dois anos na zona do euro e produzir o pacote ‘abrangente’ e ‘decisivo’ que elas têm repetidamente prometido”, afirmou Marc Chandler, chefe global de estratégia sobre moedas do Brown Brothers Harriman, em nota.

Publicidade

Na França, o índice CAC-40 caiu 1,43%, para 3.174,29 pontos. A baixa foi liderada pela STMicroelectronics, fabricante de microchips que perdeu quase 8% após registrar uma forte perda em seu lucro líquido no terceiro trimestre e informar sobre uma previsão de renda abaixo do esperado por analistas no quarto trimestre, citando as condições fracas do mercado.

Outra grande afetada na Europa foi a fabricante de medicamentos Novartis, cujas ações caíram 3,3% em Zurique após seus lucros não atingirem a expectativa. A companhia anunciou um programa para cortar custos, que inclui o corte de 2 mil postos de trabalho.

No setor bancário, as ações do banco suíço UBS fecharam em baixa de 0,3%. O banco informou que seu lucro líquido no terceiro trimestre caiu para 1,02 bilhão de francos suíços (US$ 1,16 bilhão), de 1,66 bilhão de francos suíços no mesmo período de 2010. Os resultados, porém, vieram acima das expectativas. A queda no lucro ocorreu por causa de operações irregulares de um operador que resultaram na perda de 1,8 bilhão de francos suíços, por lucros menores com investimentos bancários e custos de reestruturação.

Na Alemanha, o índice DAX 30 caiu 0,14%, a 6.046,75 pontos. A fabricante de medicamentos Merck fechou em baixa de 2,1%. As ações do Deutsche Bank subiram 0,3%, após o banco ter um lucro no terceiro trimestre de 725 milhões de euros. Entre as outras ações que subiram no DAX, a fabricante de semicondutores Infineon Technologies ganhou 2,8% e a fabricante de automóveis Daimler subiu 1,2%.

Publicidade

O índice FTSE 100, da Bolsa de Londres, caiu 0,41%, a 5.525,54 pontos, com ICAP cedendo 3,8% após analistas do UBS rebaixarem a recomendação da ação para “vender”. A gigante do setor de petróleo BP estava entre os principais ganhadores nesse índice, subindo 4,4% após a empresa informar sobre um salto em seu lucro líquido no terceiro trimestre e elevar sua meta para venda de ativos de US$ 30 bilhões para US$ 45 bilhões.

As ações do BG Group subiram 3,8%, após a produtora de petróleo e gás informar sobre aumento de US$ 849 milhões para US$ 1,06 bilhão, na comparação com o mesmo período do ano anterior, beneficiada pelo aumento nos preços de energia. Também no setor de energia, Neste Oil ganhou 13% em Helsinque, após a companhia de refino de petróleo informar que seu volume de vendas de combustíveis renováveis mais que dobrou no terceiro trimestre, em comparação com o anterior. A companhia espera elevar esse volume em 50% no quarto trimestre.

Em Milão, o índice FTSE MIB cedeu 1,06%, a 16.060,49 pontos. Os bancos estiveram entre os mais prejudicados, com Intesa Sanpaolo (-1,5%), Banco Popolare (-2,4%) e UniCredit (-3,4%). Ações de indústrias, como a Pirelli (-1,8%), também caíram, com analistas começando a dizer que a Itália deve entrar em recessão nos próximos meses.

Na Espanha, o índice Ibex-35 fechou em queda de 0,87%, a 8.879,60 pontos. Os papéis da Repsol caíram 0,3% e foram as mais negociadas no pregão. Telefónica recuou 1,3%. Já em Portugal, o índice PSI 20, da Bolsa de Lisboa, caiu 2,10%, fechando em 5.850,88 pontos. As informações são da Dow Jones.

Publicidade