Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Bolsas da Europa fecham em forte alta após dia volátil

Avanço nos papéis de bancos, que nesta quarta-feira haviam puxado os índices para baixo, contribuiu para o bom desempenho das bolsas nesta quinta-feira

Os principais índices do mercado de ações da Europa fecharam em forte alta após uma sessão tomada pela volatilidade, puxados pelo avanço nos papéis de bancos e em meio a receios sobre a possibilidade de os governos europeus restringirem as vendas a descoberto – alienação de ativos que os investidores, na verdade, não possuem – para conter o declínio das bolsas.

Na Bolsa de Londres, o FTSE-100 avançou 155,67 pontos, ou 3,11%, para 5.162,83 pontos. Já em Paris, o índice CAC 40 ganhou 86,67 pontos, ou 2,89%, e encerrou o dia a 3.089,66 pontos. Na Bolsa de Frankfurt, o índice Xetra DAX fechou em alta de 184,24 pontos, ou 3,28%, a 5.797,66 pontos. Em Milão, o índice FTSE MIB subiu 601,15 pontos, ou 4,10%, para 15.277,19 pontos, ao passo que o IBEX 35, da Bolsa de Madri, avançou 283,40 pontos, ou 3,56%, para 8.249,40 pontos. Em Lisboa, o índice PSI 20 teve alta de 101,69 pontos, ou 1,72%, para 6.020,87 pontos. O índice pan-europeu Stoxx 600 subiu 7,07 pontos, ou 3,16%, para 230,57 pontos, mas em determinado momento do pregão chegou a cair para 218,91 pontos.

A Autoridade de Serviços Financeiros do Reino Unido (FSA, na sigla em inglês) afirmou, após o fechamento das bolsas, que não vai proibir a venda a descoberto de ações, mas informou que está monitorando a volatilidade dos mercados. Dados que mostraram um declínio de 7 mil trabalhadores no número total dos que entraram pela primeira vez com pedido de auxílio-desemprego nos Estados Unidos na semana passada também contribuíram para o avanço das bolsas europeias.

Segundo o estrategista Joshua Raymond, do City Index, o nervosismo dos investidores é nítido, visto que qualquer pequena alta nas bolsas está sendo utilizada para vender ações. “Cada rali que vimos até agora foi completamente devolvido.” Ele acrescentou que as oscilações imprevisíveis do mercado devem piorar quando terminar o verão no Hemisfério Norte. “Assim que chegarmos a setembro, poderemos ter ainda mais volatilidade.”

Destaques – Entre os destaques da sessão, as ações da alemã Salzgitter subiram 21%, registrando o ganho mais acentuado entre os componentes do índice Stoxx 600. A siderúrgica elevou sua estimativa de lucro antes de impostos e divulgou que, no primeiro semestre deste ano, as vendas cresceram 18% na comparação com igual período do ano passado. A ThyssenKrupp, que divulgará seus números do terceiro trimestre fiscal na sexta-feira, avançou 8,1% beneficiada pelos resultados da Salzgitter.

No setor bancário, o BNP Paribas fechou em alta de 0,3% enquanto o Société Générale teve ganho de 3,7%, um dia depois de seus papéis terem recuado quase 15%. Em Milão, o Unicredit avançou 3,4%, enquanto em Zurique o UBS subiu 10,1%, beneficiado pelo declínio do franco suíço em relação a outras moedas. O Barclays fechou a sessão em alta de 8,6%.

Em Amsterdã, a seguradora Aegon caiu 3,5% depois de divulgar um lucro menor do que o esperado para o segundo trimestre. Já a Zurich Financial Services fechou em alta de 10,5% após anunciar um aumento de 88% no lucro do mesmo período.

(com Agência Estado)