Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Bolsas da Europa cedem com Moody’s e dados dos EUA

Por Da Redação 14 fev 2012, 15h02

Por Renan Carreira

Londres – Os principais índices das bolsas europeias fecharam em baixa nesta terça-feira, um dia após a agência de classificação de risco Moody’s ter rebaixado os ratings de Itália, Portugal, Espanha, Eslováquia, Eslovênia e Malta e cortado para negativa a perspectiva das notas triplo A da França, Reino Unido e Áustria. O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em baixa de 0,23%, ou 0,61 ponto, para 262,56 pontos.

Além disso, também pesou o fato de as vendas no varejo nos Estados Unidos subirem menos do que o esperado em janeiro, com uma queda nos negócios com veículos, um indício de que os consumidores podem ainda estar cautelosos em meio a uma lenta recuperação da economia.

Na segunda-feira, a Moody’s citou como motivos para o rebaixamento do rating dos seis países a incerteza das perspectivas de reforma institucional nos arcabouços fiscal e econômico da zona do euro e dos recursos a serem disponibilizados para lidar com a crise, as perspectivas macroeconômicas cada vez mais fracas para a Europa e o impacto desses fatores sobre a confiança dos mercados, que continua frágil. Esses mesmos fatores levaram a agência a alterar de estável para negativa a perspectiva dos ratings de Áustria, França e Reino Unido.

Nos EUA, as vendas no varejo subiram 0,4% em janeiro ante dezembro, para o valor sazonalmente ajustado de US$ 401,40 bilhões, segundo informou nesta terça-feira o Departamento do Comércio. Os economistas ouvidos pela Dow Jones tinham projetado uma alta de 0,8% das vendas. Na comparação com janeiro de 2011, as vendas avançaram 5,8%. As vendas de automóveis foram as responsáveis pelo aumento menor do que o esperado das vendas no varejo, com uma queda mensal de 1,1%. Mesmo assim, na comparação anual as vendas de automóveis subiram 7,3%.

Em Londres, o índice FTSE 100 fechou em baixa de 0,10%, para 5.899,87 pontos. Os papéis da Bunzl registraram alta de 3,7% após uma elevação de seu rating.

Na Bolsa de Paris, o índice CAC 40 teve baixa de 0,26%, para 3.375,64 pontos, também um reflexo do corte de rating feito pela Moody’s, disse um trader baseado em Paris. Os bancos foram os mais atingidos, com o Crédit Agricole fechando em baixa de 5%, o Société Générale em queda de 3,7% e o BNP Paribas caindo 2,4%. Alcatel-Lucent encerrou a sessão em alta de 5,9% após reportagens de que a Sprint Nextel Corp está em negociações para usar o novo sistema de telecomunicações da Alcatel-Lucent. L’Oreal fechou em alta de 3,8% após reportar fortes ganhos no quarto trimestre de 2011.

Em Frankfurt, o índice DAX registrou baixa de 0,15%, para 6.728,19 pontos. ThyssenKrupp fechou em queda de 3,8% após registrar perdas maiores do que as esperadas no primeiro trimestre fiscal devido à construção de usinas siderúrgicas no Brasil e nos EUA. Deutsche Boerse AG fechou registrou alta de 2,4% depois de informar, na segunda-feira, que voltou a lucrar no quarto trimestre do ano passado, após registrar perdas no mesmo período de 2010.

Em Madri, o índice Ibex 35 teve queda de 0,19%, para 8.771,90 pontos. Em Portugal, o índice PSI 20, da Bolsa de Lisboa, teve queda de 0,22%, para 5.678,12 pontos. Já na Itália, o FTSE MIB registrou alta de 0,47%, para 16.445,91 pontos. As informações são da Dow Jones.

Continua após a publicidade

Publicidade