Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Bolsas da Europa caem à espera das eleições na Grécia

Por Danielle Chaves

Londres – As bolsas europeias fecharam majoritariamente em baixa após uma sessão volátil. Dados fracos sobre a produção industrial da zona do euro e as vendas no varejo dos EUA pesaram sobre as bolsas, além da cautela com relação à crise europeia e às eleições na Grécia no domingo. Na ponta positiva, as ações da Inditex dispararam 11,6% na Bolsa de Madri após bons resultados trimestrais, o que ajudou a sustentar o índice Ibex-35. O índice Stoxx Europe 600 fechou com queda de 0,4%, aos 242,56 pontos.

A produção industrial da zona do euro caiu 0,8% em abril, na comparação com março, para o nível mais baixo desde setembro de 2010. Nos EUA, as vendas no varejo diminuíram 0,2% em maio e a inflação ao produtor recuou 1%. Outro fator negativo hoje foi o leilão de 6,5 bilhões de euros em títulos de 12 meses da Itália, no qual o país pagou yield (retorno ao investidor) de 3,972%, bem acima de 2,340% no leilão anterior dos mesmos papéis.

Se por um lado os indicadores negativos ampliam as preocupações econômicas, por outro alimentam as expectativas com novas medidas de estímulo pelos bancos centrais, o que ajudou a impedir maiores perdas nas bolsas. Além disso, os participantes dos mercados estão cautelosos e evitaram fazer grandes movimentos antes das eleições nacionais na Grécia. “Alguns operadores estão dizendo que este será o maior fim de semana desde o Lehman (Brothers, que entrou em colapso em 2008) e eles podem estar certos”, comentou Will Hedden, analista do IG Markets.

Madri terminou o dia com alta de 1,42%, aos 6.615,30 pontos, sustentada pelas ações da Inditex, que anunciou aumento de 30% no lucro no primeiro trimestre deste ano, acima das expectativas dos analistas. A empresa é dona da rede de lojas de vestuário Zara e é uma das maiores companhias abertas da Espanha, junto com o Santander.

Londres teve alta de 0,18% no índice FTSE-100, para 5.483,81 pontos. A empresa de energia SSE subiu 2,1% depois de ter suas ações elevadas de “equalweight” para “overweight” pelo Barclays. Por outro lado, as mineradoras caíram: Xstrata fechou com -5,2% e Eurasian Natural Resources Corp. (ENRC) encerrou com -1,3%.

Na Alemanha, Siemens caiu 1,4%, pressionando o índice DAX, que encerrou em baixa de 0,14%, aos 6.152,49 pontos. As montadoras também perderam força hoje, com Daimler recuando 2,1%, Volkswagen cedendo 1,8% e BMW declinando 1,3%.

O índice CAC-40 da Bolsa de Paris fechou com queda de 0,55%, aos 3.030,04 pontos. A empresa de energia e transporte Alstom perdeu 5,0%, enquanto Schneider Electric caiu 5,1%. Fora do índice CAC-40, as ações da Establissements Maurel & Prom saltaram 17,7% após relatos de que a Royal Dutch Shell estaria interessada em comprar o grupo francês.

O FTSE-MIB perdeu 0,65%, para 12.894,80 pontos, em um dia de poucos negócios. Banca Monte dei Paschi di Siena caiu 4,0% e Fiat cedeu 2,5%. Na Bolsa de Lisboa o índice PSI-20 caiu 1,64%, para 4.408,73 pontos, e em Atenas o índice ASE composto fechou em alta de 2,1% nesta quarta-feira, a 499,56 pontos. As informações são da Dow Jones.