Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Bolsas da Ásia seguem sem tendência definida

Por Da Redação
5 jul 2012, 06h23

Tóquio – Assim como na véspera, os mercados asiáticos voltaram a apresentar resultados mistos nesta quinta-feira. A expectativa por novas medidas de flexibilização que podem ser adotadas hoje pelo Banco Central Europeu (BCE) nortearam os investidores da região.

Este foi o caso na Bolsa de Hong Kong, que também reagiu positivamente às expectativas de novas medidas de estímulo por parte de Pequim. O Hang Seng subiu 0,5% e terminou aos 19.809,13 pontos, no maior fechamento desde 15 de maio. A maioria das blue chips fechou no campo positivo, com destaque para os papéis relacionados à China.

Já as Bolsas da China tiveram queda acentuada. Os investidores mostraram preocupação com o aperto da liquidez, à medida que a Citic Heavy Industry levantou US$ 504 milhões em uma IPO interna e fará a sua estreia na sexta-feira. O Xangai Composto perdeu 1,2% e terminou aos 2.201,35 pontos. O Shenzhen Composto caiu 1,9%, aos 914,31 pontos. As siderúrgicas e as empresas de carvão lideraram o declínio.

A Bolsa de Taipé, em Taiwan, encerrou o dia em baixa provocada pela realização de lucros após os recentes ganhos e por uma forte queda na HTC, que está sendo negociada ex-dividendos. O índice Taiwan Weighted recuou 0,47%, aos 7.387,78 pontos.

Continua após a publicidade

Na Coreia do Sul, a Bolsa de Seul encerrou o dia praticamente estável, à espera da reunião de política monetária do BCE e na expectativa da divulgação da orientação de lucros da Samsung para o segundo semestre, na sexta-feira. O índice Kospi subiu apenas 0,06%, aos 1.875,49 pontos.

Da mesma forma, a Bolsa de Sydney, na Austrália, fechou estável. Os negócios ficaram sem direção definida após o feriado nos EUA (Dia da Independência) e na expectativa sobre as decisões do BCE. O índice S&P/ASX 200 recuou 0,07%, aos 4.169,20 pontos.

A Bolsa de Manila, nas Filipinas, fechou em ligeira alta, após a agência de classificação de risco Standard & Poor’s elevar o rating do país para apenas um grau abaixo do nível de investimento e com sinais de uma inflação benigna em junho. O PSEi subiu 0,2% e encerrou aos 5.369,98 pontos, em novo recorde de pontuação e com moderado volume de negociações. As informações são da Dow Jones.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.