Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Bolsa sobe 7% em meio a rumores de socorro dos EUA e a reunião da Opep

A melhora do humor do mercado também refletiu no dólar, que caiu 1,69% e fechou cotado a 4,65 reais

Por Machado da Costa Atualizado em 10 mar 2020, 17h27 - Publicado em 10 mar 2020, 17h16

Rumores que os Estados Unidos farão um grande estímulo fiscal ajudaram a bolsa a recuperar parte das perdas de segunda-feira, 10. Nesta terça, 11, o Ibovespa subiu 7,14%, fechando aos 92.214 pontos. Apesar das notícias alvissareiras, o movimento de alta é típico de um mercado de muita volatilidade, como o que está sendo atravessado desde que as primeiras notícias de que o surto de coronavírus estava se transformando numa epidemia global.

A melhora do humor do mercado também refletiu na queda do dólar. A moeda americana terminou o dia cotada a 4,65 reais, perfazendo uma queda de 1,69%.

Na segunda, o mercado financeiro brasileiro viveu um dia de terror. A queda de 12%, na esteira do avanço do coronavírus na Europa e nos Estados Unidos, e um atrito preocupante entre Arábia Saudita e Rússia devido aos preços do petróleo, foi a pior em 21 anos. O tombo forçou o acionamento do circuit breaker, algo que não acontecia na B3 desde 2017.

A melhora das ações era prevista para hoje, num movimento típico de mercado. Contudo, a alta foi impulsionada por rumores, o que cria uma instabilidade para os próximos dias, uma vez que as crises que causaram a queda dos papeis ainda não foi debelada. “Não há uma mudança de cenário”, diz Jason Vieira, economista-chefe da corretora Infinity. “Em 2008, no auge da crise internacional, contávamos com mais certezas sobre o que estava errado. Agora, não temos ideia da dimensão do problema, por isso, não vemos um fim breve para esse problema.”

Entre os motivos que permitiram a recuperação estão a expectativa de que, nos Estados Unidos, os partidos Democrata e Republicano façam um acordo para dar um grande estímulo fiscal a fim de impedir uma derrocada econômica.

O secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, após se encontrar com a presidente da Câmara, a democrata Nancy Pelosi, afirmou que ambos os partidos veem como urgente um pacote de alívio. A parte do rumor está no tamanho deste pacote — algo próximo de 300 bilhões de dólares (1,4 trilhão de reais) por meio do corte das taxas cobradas nas folhas de pagamento das empresas. Notícias semelhantes vieram da Itália — o maior ponto de disseminação do vírus depois da China. O resgate italiano seria de 16 bilhões de euros (84 bilhões de reais).

Está prevista para esta quarta-feira, 11, uma nova reunião da Rússia com a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep). A expectativa é que saia do encontro um entendimento entre o presidente russo, Vladimir Putin, e o príncipe saudita Mohammed Bin Salman para a crise do petróleo deflagrada pelos dois. O bom presságio com a reunião fez o preço da commodity recuperar parte do tombo do dia anterior. Nesta terça, o Brent, comercializado em Londres, fechou com alta de 9,9%, cotado a 37,75 dólares. Já o WTI, negociado em Chicago, avançou 11% e terminou o dia valendo 34,55 dólares.

Continua após a publicidade
Publicidade