Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

BOLSA EUA-Recuos superam 1%; S&P 500 tem menor nível em 4 meses

(Texto atualizado com informações após o fechamento)

Por Chuck Mikolajczak

NOVA YORK, 17 Mai (Reuters) – Os principais índices acionários norte-americanos fecharam em baixa de mais de 1 por cento nesta quinta-feira, com o S&P 500 atingindo seu menor nível em quatro meses, enquanto o crescimento dos yields (rendimentos) de títulos da dívida da Espanha incentivou a ansiedade de investidores sobre o sistema bancário do país.

Além disso, mais uma rodada de dados fracos sobre a economia dos Estados Unidos desestimulou as esperanças de investidores a respeito da recuperação norte-americana.

O índice Dow Jones, referência da bolsa de Nova York, recuou 1,24 por cento, para 12.442 pontos. O índice Standard & Poor’s 500 teve desvalorização de 1,51 por cento, para 1.304 pontos. E o termômetro de tecnologia Nasdaq caiu 2,10 por cento, para 2.813 pontos.

Crescentes preocupações com a situação na zona do euro e dados econômicos muito fracos levaram o S&P 500 a fechar em baixa pela quinta sessão consecutiva. O índice, que teve seu menor nível de encerramento desde meados de janeiro, já abriu mão de mais de metade de seus ganhos no acumulado do primeiro trimestre.

“Não há muito interesse no mercado de ações”, disse o diretor administrativo do Seaport Securities, Jason Weisberg. “A situação na zona do euro pesa tanto sobre o mercado que as pessoas estão se cansando de brincar de tiro ao alvo, em uma situação em que seus portfólios são o alvo”, completou.

O papel da Caterpillar recuou 4,5 por cento para 87,77 dólares e foi a maior âncora sobre o Dow Jones, após a fabricante de equipamentos pesados ter registrado desaceleração em suas vendas em abril. O indicador fechou em baixa pela 11ª sessão nas últimas 12.

Um índice que mede a atividade econômica futura nos Estados Unidos caiu em abril pela primeira vez em sete meses, enquanto o indicador de condições de negócios do Federal Reserve (banco central norte-americano) da Filadélfia atingiu sua mínima desde setembro.

REUTERS BBF FR