Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Bolsa de NY despenca com temor de desaceleração econômica e China

Dow Jones encerrou em queda de 3,12%, depois de ter recuado 2% na quinta-feira, investidores temem colapso na China

Por Da Redação 21 ago 2015, 19h02

O índice Dow Jones Industrial, o principal da Bolsa de Nova York, fechou em forte queda de 3,12% nesta sexta-feira, em mais uma jornada de preocupação nos mercados internacionais com a desaceleração da economia da China. O principal indicador da bolsa de Nova York perdeu 530,94 pontos, para 16.459,75. O seletivo S&P 500 caiu 3,19%, para 1.970,89, e o índice composto da Nasdaq recuou 3,52% e fechou aos 4.706,04. Na quinta-feira, os mercados também recuaram depois que o Banco Central dos Estados Unidos revelou que os juros poderão não subir na próxima reunião do comitê de política monetária, em setembro – contrariando as expectativas.

O dia começou com fortes perdas no pregão nova-iorquino, influenciadas pelo pessimismo instalado nas principais bolsas mundiais após a divulgação de outro dado preocupante sobre a evolução da economia chinesa.

A atividade manufatureira no gigante asiático se contraiu em agosto a níveis que não eram vistos desde de 2009, com o índice gerente de compras (PMI, em inglês) de seu setor industrial em 47,1 pontos, segundo o índice elaborado pela revista financeira Caixin.

A onda de vendas continuou a aumentar no restante do dia e na reta final os três indicadores desabaram e fecharam o primeiro dia de correção em Wall Street desde 10 de agosto de 2011, a última vez que o Dow Jones caiu mais de 500 pontos.

O dia também foi ruim nos mercados de matérias-primas, onde o barril do Texas chegou a cotar em Nova York abaixo dos US$ 40 pela primeira vez desde 2009 e petróleo Brent quase perdeu os 45 dólares em Londres.

Continua após a publicidade

Os mercados mundiais temem que a desaceleração da China, que na semana passada se viu obrigada a desvalorizar em quase 5% o iuane e teve de injetar bilhões de dólares em seus bancos, acabe impactando o crescimento da economia mundial.

Também não ajudou a incerteza na Grécia depois da renúncia do primeiro-ministro, Alexis Tsipras, o que contribuiu para aquecer ainda mais os ânimos nas bolsas europeias: Paris caiu 3,19%, Madri 2,98%, Frankfurt 2,95%, e Milão e Londres, ambas com 2,83%.

Todos os setores de Wall Street fecharam com quedas de mais de um ponto percentual, liderados pelo tecnológico (-3,65%), seguido pelo energético (-3,13%), o financeiro (-2,81%), de matérias-primas (-2,79%) e o industrial (-2,57%).

Ao final do pregão, as ações que sofreram queda mais acentuada no Dow Jones foram as de Apple (-6,12%), Microsoft (-5,67%), Nike (-4,84%), Goldman Sachs (-4,60%) e Chevron (-4,38%). Também desceram mais de três pontos percentuais Boeing (-3,85%), Visa (-3,71%), Home Depot (-3,63%), Intel (-3,52%), JPMORGAN Chase (-3,46%) e Exxon Mobil (-3,29 %).

(Com EFE)

Continua após a publicidade
Publicidade