Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Boa Vista: inadimplência fica estável em janeiro

Por Da Redação 8 fev 2012, 12h25

Por Wladimir D’Andrade

São Paulo – A inadimplência do brasileiro permaneceu estável em janeiro deste ano, ao apresentar variação positiva de apenas 0,1% na comparação com dezembro, já descontadas as influências sazonais, de acordo com indicador da Boa Vista Serviços, empresa que administra o Serviço Central de Proteção ao Crédito (SCPC). O valor médio das dívidas em janeiro ficou em R$ 1.120,50, alta de 1,7% em relação ao valor verificado no mesmo mês de 2011.

Na comparação com janeiro do ano passado, entretanto, o número de novos registros de devedores aumentou 17,3%. Já na comparação dezembro 2011 ante dezembro 2010, a variação foi de 15%. Com base nesse resultado, o economista Flávio Calife, da Boa Vista, avalia que o resultado de janeiro 2012 não é preocupante: “É verdade que em dezembro a variação foi menor, mas nos meses anteriores essa variação mês a mês estava na casa dos 20%”, diz. “O resultado de janeiro não é preocupante porque o indicador mostrou estabilidade nos meses recentes.”

De acordo com a Boa Vista, o recuo do governo nas medidas restritivas da economia, o processo de redução das taxas de juros, uma menor expansão do crédito em 2012 e a manutenção do baixo nível de desemprego têm mantido a inadimplência estável nos últimos meses.

O agravamento da crise europeia, porém, poderia provocar reflexos na inadimplência brasileira caso haja um encarecimento do crédito no País. “Um agravamento na crise pode levar a efeitos sobre o emprego e a renda no Brasil. Mas um eventual encarecimento do crédito poderia provocar efeitos maiores sobre a inadimplência”, explica Calife.

O Sudeste foi a Região do País que apresentou o maior aumento ante dezembro, de 1,9%, e o Norte, o menor, com queda de 5% no registro de inadimplentes. Na comparação com janeiro do ano passado, o Sudeste segue como a Região com maior porcentual de novos registros (20,8%), seguido de Centro-Oeste (18,9%), Sul (17,8%), Nordeste (7,7%) e Norte (6,0%).

O número de consumidores que deixaram a lista de devedores aumentou, em janeiro, 28,2% na comparação com o mesmo mês do ano passado. A variação em relação a dezembro foi positiva em 1%, na série com ajuste sazonal.

Continua após a publicidade
Publicidade