Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

BNDES escolhe novos conselheiros para JBS após troca de CEO

Os nomes escolhidos para representar o BNDES no conselho foram: Cledorvino Bellini, ex-presidente da Fiat, e Roberto Penteado Camargo Ticoulat, da ACSP

Por Da redação 18 set 2017, 18h32

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) definiu seus dois novos representantes no conselho de administração da JBS. O banco público de fomento detém 21,31% do capital da processadora de carnes.

Os nomes escolhidos para representar o BNDES no conselho foram: Cledorvino Bellini, ex-presidente da Fiat, e Roberto Penteado Camargo Ticoulat, vice-presidente da Associação Comercial de São Paulo. Escolhidos hoje, eles ocuparão os lugares dos representantes atuais: Cláudia Santos e Maurício Luchetti.

A troca de conselheiros ocorre após a assembleia geral extraordinária da JBS aprovar no sábado à noite a indicação de José Batista Sobrinho, o Zé Mineiro, para a presidência da companhia. Ele ocupará o cargo do filho Wesley Batista, preso na semana passada.

O nome de Zé Mineiro foi aprovado por unanimidade, inclusive com o voto de Claudia Santos. O BNDES vem defendendo o afastamento da família Batista do controle da JBS.

Apesar de criticar a assembleia realizada ‘na calada da noite’, o presidente do BNDES divulgou nota informando que não questiona o mérito do voto da conselheira do banco, já que “ela atua com o devido grau de independência prescrito pelas melhores práticas de governança”.

“A crítica do presidente se restringe às circunstâncias da reunião do conselho, convocada às pressas mesmo diante da vacância do cargo ter ocorrido ainda na manhã do último dia 13”, informa o BNDES em nota.

Continua após a publicidade

O banco informa que solicitou à área jurídica as providências necessárias para obter uma posição da câmara arbitral ou da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) sobre as divergências da instituição com a companhia.

“A CVM é quem pode arbitrar. É preciso que a CVM se manifeste, com uma decisão regulatória, no sentindo de esclarecer a aplicação da Lei das S.A.”, afirmou o presidente nesta segunda-feira. “Nós queremos, exigimos e vamos conseguir melhor governança nessa companhia porque existe dinheiro do Brasil e de todos os brasileiros nela.”

A JBS negou qualquer ilegalidade envolvendo a reunião do conselho. “Na quinta-feira (14 de setembro) foi convocada reunião do conselho de administração para o dia 16”, diz trecho do comunicado. “A presença da totalidade dos membros do conselho tornaria dispensável até mesmo a convocação prévia.”

Já o presidente do BNDES questiona a data da reunião. “Essa reunião foi feita fora de um dia útil, revestida de todos os detalhes de excepcionalidade”, avalia Rabello de Castro, para quem as ações dos controladores revelam evidências do conflito de interesses já apontado pelo Banco junto à CVM e ao Judiciário.

Segundo a JBS, “os conselheiros agiram no cumprimento de seus deveres fiduciários e, por unanimidade, tomaram a decisão que lhes pareceu ser a melhor para a companhia, seus acionistas, colaboradores e demais stakeholder”s.

“O momento atual é de equilíbrio, de união e de pensar no melhor interesse da JBS e de seus acionistas, tendo assim agido o conselho de administração, em estrita consonância com a lei e o estatuto social.”

O BNDES defende a responsabilização dos controladores por prejuízos causados ao patrimônio da JBS.  “O que nós queremos na JBS é a boa governança, assim como exigimos de todas as empresas em que o BNDES tem participação acionária. Essa é a condição básica para receber apoio financeiro do banco. A JBS está descumprindo uma obrigação nessa relação, que é ter uma governança impecável”, diz o presidente do BNDES.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês