Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

BlackBerry tem prejuízo de quase US$ 1 bilhão

O prejuízo líquido no segundo trimestre encerrado em 31 de agosto foi de 965 milhões de dólares, ou 1,84 dólar por ação, com a receita caindo 45% ante um ano antes, para 1,6 bilhão de dólares

Por Da Redação 27 set 2013, 10h51

A BlackBerry sofreu prejuízo trimestral de quase 1 bilhão de dólares, com o balanço da empresa sendo publicado dias após a companhia aceitar oferta preliminar de 4,7 bilhões de dólares para fechar seu capital, numa proposta feita por seu maior acionista.

A companhia, que já tinha feito alerta sobre perdas em 20 de setembro, disse que o prejuízo líquido no segundo trimestre encerrado em 31 de agosto foi de 965 milhões de dólares, ou 1,84 dólar por ação, com a receita caindo 45% ante um ano antes, para 1,6 bilhão de dólares.

O prejuízo incluiu um encargo antes de juros de cerca de 934 milhões de dólares, num impacto contábil advindo de inventários e compromissos de fornecimento relacionados ao novo smartphone Z10.

Leia também:

BlackBerry anuncia reestruturação e prevê 4,5 mil demissões

Continua após a publicidade

Empresa faz proposta de US$ 4,7 bilhões para comprar BlackBerry

A BlackBerry afirmou que não vai realizar a tradicional conferência com investidores após a divulgação dos resultados depois de ter assinado, na segunda-feira, acordo preliminar para ser adquirida pela Fairfax Financial, sua maior acionista.

Dificuldades – A acentuada queda na receita da companhia e o acúmulo de prejuízos têm revivido temores de que a BlackBerry, outrora pioneira no segmento de smartphones, poderá enfrentar um colapso. A companhia planeja cortar 4.500 empregos, ou mais de um terço da sua força de trabalho.

“Estamos muito decepcionados com nossos resultados operacionais e financeiros neste trimestre e anunciamos uma série de mudanças para enfrentarmos o ambiente competitivo de hardware e nossa estrutura de custos”, afirmou o presidente-executivo da empresa, Thorsten Heins, no balanço.

A BlackBerry anunciou que vendeu 5,9 milhões de telefones no trimestre, a maioria de modelos antigos, mas reconheceu uma receita de apenas 3,7 milhões de unidades, dado que muitas vendas já haviam sido lançadas. Em contraste, a Apple afirmou ter vendido 9 milhões de seus novos iPhones 5c e 5s nos três dias após o lançamento dos modelos.

(com agência Reuters)

Continua após a publicidade
Publicidade