Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Bitcoin bate recorde histórico em meio à desvalorização do dólar

Criptomoeda superou os 20 mil dólares em meio à expectativa pela aprovação de novos estímulos fiscais nos EUA, desvalorizando mais a moeda americana

Por Luisa Purchio Atualizado em 16 dez 2020, 12h56 - Publicado em 16 dez 2020, 12h48

Em meio ao excesso de liquidez do dólar e a expectativa da aprovação de um novo pacote de estímulos na economia americana, o Bitcoin (BTC) bateu recorde histórico em dólar nessa quarta-feira, 16. Por volta das 11h09, no horário de Brasília, atingiu 20.296,83 dólares. Pouco antes do meio-dia, a criptomoeda continuou batendo novos recordes e operava a 20.619,43 dólares, alta de 6,91% nas últimas 24 horas.

O ano de 2020 certamente foi o ano do Bitcoin. Com a pandemia da Covid-19, o aumento das transações digitais e da desconfiança sobre a força de moedas controladas pelos governos centrais, como é o caso do dólar, as criptomoedas dispararam. Novas startups que permitem transações em Bitcoin surgiram e, no ano que vem, plataformas como o PayPal passarão a aceitar pagamentos em bitcoin. Além disso, a S&P Global, uma das maiores empresas de índices do mercado financeiro, lançará um índice sobre criptomoedas, conforme mostrou VEJA.

  • Na esteira da digitalização de pagamentos, até os mais importantes bancos centrais do mundo estudam lançar versões digitais de suas moedas oficiais. O Fed, por exemplo, anunciou em outubro que estuda um dólar digital, mas que “é mais importante para os Estados Unidos acertar do que ser o primeiro”. Em novembro, foi a vez de Christine Lagarde, presidente do Banco Central Europeu, anunciar que o Euro digital poderá ser lançado em quatro anos. Já a China, que está à frente com plataformas de pagamentos digitais, já testa o yuan digital e no mês passado transacionou valor equivalente a 300 milhões de dólares.

    O principal motivo da alta, porém, é a desvalorização do dólar que ocorreu ao longo do ano. O DXY, índice que mede a força da moeda americana em relação a uma cesta de moedas mundiais, a principal delas o euro, chegou a 90,2 nesta terça-feira, 16, o índice mais baixo desde abril de 2018. No dia 15 de dezembro de 2017, o último recorde do BTC antes de 2020, o dólar também estava em 91,5 e em curva acentuada de depressão.

    Continua após a publicidade
    Publicidade