Clique e assine a partir de 9,90/mês

Berlim cogita ajudar Grécia através do consumo elétrico alemão

Por Da Redação - 5 fev 2012, 07h12

Berlim, 5 fev (EFE).- As autoridades de Berlim estudam a possibilidade de auxiliar a economia da Grécia, imersa na crise da dívida, por meio do consumo de eletricidade na Alemanha, informa neste domingo uma reportagem da revista ‘Der Spiegel’.

Para estimular os investimentos em usinas solares e parques eólicos, as subvenções públicas alemãs às energias renováveis poderiam também beneficiar empresas gregas a fornecerem energia à rede europeia.

A revista indica que o governo da chanceler Angela Merkel estuda também a concessão de ajudas procedentes do público Instituto Creditício para a Reconstrução (KfW) aos investimentos na Grécia para as energias renováveis.

As informações da reportagem se baseiam em planos da Comissão Europeia – órgão executivo da União Europeia (UE) – para um novo programa de fomento do crescimento econômico na Grécia.

Mas enquanto isso, segundo a ‘Der Spiegel’, aumentam as críticas contra Atenas entre as entidades credoras da dívida grega, que manifestam dúvidas sobre as atitudes do governo da Grécia para enfrentar a crise da dívida que atinge o país.

A revista revela que o grupo de credores conhecido como ‘troika’ – formado pela Comissão Europeia, Banco Central Europeu (BCE) e Fundo Monetário Internacional (FMI) – considera imprescindível que Atenas reduza os custos trabalhistas entre 15% e 20%.

O salário mínimo na Grécia segue 50% acima do nível de Portugal, segundo se constata do relatório que o grupo de monitores da ‘troika’ previsivelmente apresentará nesta semana.

Apesar de tudo, a ‘Der Spiegel’ indica que, em Bruxelas, crescem as vozes favoráveis a relaxar as medidas de austeridade da Grécia para não afundar o país ainda mais na crise.

‘O ajuste deve vir acompanhado de medidas para suavizar a recessão’, opina o comissário de Energia da UE, o alemão Günther Oettinger. EFE

Continua após a publicidade
Publicidade