Clique e assine a partir de 8,90/mês

BCs podem precisar estourar bolhas, diz Bernanke

Por Da Redação - 18 out 2011, 20h06

Por Kristina Cooke

BOSTON (Reuters) – O chairman do Federal Reserve, Ben Bernanke, disse nesta terça-feira que os bancos centrais podem ter de usar política monetária para conter bolhas de ativos, embora a regulação devesse ser a primeira linha de defesa.

“A possibilidade de que a política monetária possa ser usada diretamente para apoiar metas de estabilidade financeira, ao menos na margem, não deve ser descartada”, afirmou Bernanke em uma conferência no Fed de Boston.

No discurso, Bernanke não comentou diretamente as perspectivas para a economia dos Estados Unidos ou política monetária, que, em vez disso, ofereceu visões sobre como os bancos centrais podem modificar posturas em meio a crises financeiras.

A crise fez com que a meta de estabilidade financeira alcançasse o mesmo status da saúde macroeconômica como objetivo do banco central, aumentando a importância da regulação para a proteção contra riscos sistêmicos, disse Bernanke.

Porém, o chairman do Fed disse ser cedo demais para dizer que eficácia teria a regulação na prevenção de desequilíbrios financeiros.

Continua após a publicidade

Quanto à política monetária, Bernanke disse ser improvável que os bancos centrais se afastem do atual foco sobre a chamada flexibilização da meta de inflação, na qual eles deixam claro suas metas inflacionárias como modo de garantir que as expectativas de inflação permaneçam baixas.

Bernanke disse que nos Estados Unidos, os formuladores de política continuam tentando refinar sua comunicação. “O (Fed) continuará explorando formas de aumentar a transparência sobre suas previsões e planos”, disse ele.

Para ajudar a estimular um crescimento mais forte, o Fed está considerando meios de assegurar aos mercados financeiros que o banco central não vai apertar as condições financeiras no curto prazo.

Apesar de um agressivo afrouxamento da política monetária implementado pelo Fed no ano passado, a economia dos EUA continua sofrendo os efeitos de um estouro de uma bolha imobiliária.

Os economistas vêm há tempos discutindo se os bancos centrais deveriam perceber bolhas de ativos quando elas estão se formando.

(Reportagem de Kristina Cooke; Texto de Mark Felsenthal)

Continua após a publicidade
Publicidade