Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

BC volta a intervir e dólar cede para R$ 2,15 – bolsa segue em queda

Moeda americana cede após atuação da autoridade monetária. Bovespa cai mais de 2% no início da tarde

Por Da Redação 11 jun 2013, 13h02

O Banco Central vendeu, nesta terça-feira, 50 mil contratos de swap cambial com dois vencimentos em leilão realizado no final da manhã. Foram 25 mil contratos com vencimento em 01/08/2013 e 25 mil com prazo final em 02/09/2013. O swap cambial é uma operação que equivale à venda de dólares no mercado futuro e é utilizada pelo BC para tentar derrubar o valor da moeda norte-americana ante o real. A moeda americana abriu em alta e chegou a ser cotada a 2,16 reais ao longo da manhã. Contudo, após a intervenção do BC, o dólar era negociado a 2,157 reais, às 15h30 (horário de Brasília).

No caso dos papéis que vencem em agosto, a operação equivale a 748,5 milhões de dólares e, nos de setembro, a 498,5 milhões de dólares, totalizando 1,247 bilhão de dólares retirados das reservas e leiloados no mercado futuro.

Na segunda-feira, o BC realizou dois leilões de swap cambial para conter a desvalorização do real. Mesmo com o movimento, a cotação no fechamento foi a 2,1480 reais, alta de 0,56%. Se a tendência de alta persistir, a moeda americana pode bater novo recorde em quatro anos – a cotação mais alta de fechamento até agora foi a de segunda. Antes disso, a última alta deste nível havia sido em 30 de abril de 2009 (2,1880 reais).

O movimento de alta pode ser explicado, em parte, pela expectativa de mudança da política monetária dos Estados Unidos – o Federal Reserve, banco central americano, cogita reduzir seu programa de recompra de títulos públicos e tal movimento poderá minar a liquidez no mercado financeiro global. Diante de tal cenário, o real e grande parte das divisas estrangeiras têm perdido valor ante a moeda americana. Na segunda-feira, todas as moedas latino-americanas perderam valor ante o dólar.

Leia mais:

BC atua, mas dólar alcança maior nível desde abril de 2009

Continua após a publicidade

Mercado cogita novas ações do governo para frear alta do dólar

BM&FBovespa – A bolsa de valores abriu em queda superior a 3% na manhã desta terça-feira, puxada pelas ações da Oi e da OGX. Às 13h00 (horário de Brasília), o Ibovespa recuava 2,27%. A ação ON da Oi recuava 6,33%, para 4,86 reais. Já a OGX era negociada em queda de 8,53%, a 1,18 real, depois que o bilionário Eike Batista anunciou, em documento enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a redução de sua participação na empresa, de 61,1% para 58,9%.

A bolsa tem acumulado pregões difíceis desde a semana passada. Depois de a gência Standard & Poor’s publicar um alerta sobre a saúde econômica do país, o Ibovespa desceu ao menor patamar desde outubro de 2011, caindo 2,4% e fechando a 51.618 pontos, na contramão dos mercados globais.

(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade

Publicidade